Compositores: Deh Oliveira, Lillo, Rufino, Mumu da Morada, Ale Pinheiro, Sidney Myngal, Alex e Helinho

Batuque ferve, no cantar das lavadeiras
Nasceu a flor de alma guerreira
Que Retrata a história de luta e da Fé
‘Eita’ povo sofrido que não sonha de pé.

Trilhando um caminho iluminado.
Dissabores são passado,
Mais um motivo para cantar e se alegrar
Voou de Oswaldo Cruz para Mangueira
Seu canto exalta a negritude.
E o estrelato a concebeu.

‘Marinheiro só’, é revolta, é liberdade!
Grito do gogó, conquistar, pedir passagem.
Em tom ancestral, o Brasil se encantou!
‘Levanta nego’, o ‘cativeiro acabou’.

Quelé de Jesus, da glória e do axé
Do samba tão sincretizado de fé
A voz do lamento
Não deixou calar a memória!

A lua ilumina, jongo e viola
Hoje a Morada, conta sua história.
Repleta de orgulho e emoção.
Canta Quelé, rainha da canção.

Cadê você Clementina?
No céu, estrela encantada!
Reluz no meu pavilhão,
Inspiração da minha Morada

Comentários