Compositores: Fernandinho Bilhalva, Jonca da Nova, Thiago Andrade

Moça alegre negra
Do canto das lavadeiras,
África em Valença.
Tina, do reizado, do jongo
Curimas e pastoris, eu canto
Tina, Quelé do Povo!
Vida sem fé não a via
O valor não se perdeu
O valor não se perdeu
A ela, a glória sorria.

A Mocidade empodera essa voz
Que ela é mulher rainha,
Alegre, vinde da cor
Nega-veia, Clementina

Filha de Zambi impôs
Arte com sua beleza
Cantou o som dos calados
“Qual uma flor”
Rompeu espinhos,
“Rosa Dourada”,explodia
Do Carambita,a Oswaldo Cruz,
Pés de Mangueira
Oooo marinheiro só
Venha vadiar, marinheiro só
Eu não sou daqui
“Ma tô”aqui no samba

Cadê ocê Quelé, cadê?
Cadê Quelé Clementina,
Feita pra vadiar eu estou aqui
Na morada, Clementina

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui