A Mocidade Alegre foi despontuada no quesito evolução por duas invasões de alas e buraco. A julgadora Bia Cagliani, localizada na torre 03, destaca que um dos últimos componentes da ala 6 invadiu a ala detrás, no caso as baianas. E acrescenta outra invasão, na ala 10. A julgadora ainda pontua um buraco na ala “Obá, a detentora da coragem”. A escola perdeu dois décimos, mas com o descarte, a nota não afetou a somatória completa.

Confira a justificativa na íntegra

Bia Cagliani (9,8): “Durante seu desfile, o Mocidade Alegre não cumpriu com todos os pontos de avaliação contidos no Manual do julgador 2020. No tocante à Evolução: Aos 00:13 minutos houve invasão de componentes da “ala 6 – Homenagem à Grande Mãe Yemanjá” na “Ala 7 – Cavalos Marinhos (baianas)” e aos 00:19 minutos, invasão de componentes da “Ala 10 – Ewá, a guardiã da pureza…”, acarretando perda de 0,1 de acordo com o ponto Invasão de alas do manual; já aos 00:20 minutos ocorreu na “Ala 11 – Obá, a detentora da coragem”, um buraco que ocasiona perda de 0,1 na nota final. Somando-se os decréscimos descritivos acima, a escola perdeu um total de 0,2 décimos na sua nota final”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui