Mocidade escolhe samba neste sábado após melhor safra dos últimos anos

1712

Até 2016 (salvo algumas raras exceções) escolher o samba na Mocidade Independente de Padre Miguel era uma tarefa árdua, mas não pela qualidade das obras. O jogo virou a partir de 2017, com a chegada de novos compositores e uma direção de carnaval comprometida com a lisura do processo. O resultado da colheita é uma das grandes safras de samba da história da escola. Um bom problema que a Estrela Guia terá na noite/madrugada deste sábado para domingo em sua quadra, na Avenida Brasil, quando define o hino oficial para o desfile de 2019.

Wander Pires vai cantar o samba de 2019 por volta das 5h.

Primeira escola do Especial a fazer final (Grande Rio, Império Serrano, São Clemente e Tuiuti já apresentaram seus sambas) a Mocidade pretendia levar três obras para a grande final, mas devido à forte concorrência e qualidade das mesmas serão quatro parcerias, conforme explica o vice-presidente Rodrigo Pacheco.

“O nível dessa disputa foi tão alto que resolvemos levar quatro sambas para a final, a princípio seriam três. Tenho certeza que faremos uma grande festa com a participação da comunidade, como aliás foi toda a disputa. Nós liberamos todos os segmentos para demonstrarem as suas preferências. Não podamos nenhuma manifestação. E isso nos dá um caminho daquilo que a escola quer. A final é o grande ápice disso. Há muito equilíbrio”, aponta.

Diretor de carnaval elogia sinopse

A boa fase da Mocidade no que tange aos sambas-enredo também pode ser creditada ao diretor de carnaval Marquinho Marino. Coincidência ou não, foi no ano em que o dirigente assumiu o posto que a Estrela Guia teve um dos grandes sambas do ano, o que se repetiu em 2018. Marino falou ao CARNAVALESCO que essa é sem dúvida uma das maiores safras da história recente.

“É a maior safra dos últimos anos e alguns pontos são fundamentais. Acredito que a conversa entre diretoria, carnavalesco e compositores é fundamental nesse processo. A ala entendeu que o processo dos últimos dois anos foi honesto. Credibilidade gera mais sambas de qualidade. Foi fundamental”, destacou.

Marino divide os louros da boa safra com o carnavalesco Alexandre Louzada. Também elogiado pelos compositores pela sinopse, Louzada teria deixado os poetas bem livres para criar as obras em cima de uma roteirização, conforme explica Marino.

“O nosso carnavalesco explicou a cronologia de setores, não de fantasia. Acho que dessa forma você deixa o compositor mais solto. São quatro sambas com linhas diferentes. Temos um cardápio de opções. Ao levar os melhores para a final, até errando você acerta”, destaca.

Escolha de samba não é brincadeira, pelo menos não na Mocidade. Para Marino um conselho de julgadores, onde nem sempre todos estão comprometidos com o desfile, pode significar um tiro no pé. Por isso, ele explica que a escolha na Mocidade se dá entre Rodrigo Pacheco e Rogério Andrade.

“Na Mocidade quem escolhe o samba é quem organiza a escola. Eu não gosto de comissão julgadora, pois isso corrompe o processo. Quem escolhe é o Rodrigo com o Rogério”, adianta.

Parcerias terão 25 minutos para se apresentarem

Estão na grande final da Mocidade quatro sambas liderados por compositores com histórico vencedor dentro da Estrela Guia. São finalistas as parcerias de J.Giovanni, Ricardo Simpatia, Gustavo Soares, Solano Santos, Jedir Brisa, Dudu Educar, G.Alves e Igor Vianna; Jefinho Rodrigues, Diego Nicolau, Marquinho Índio, Jonas Marques, Richard Valença, Roni Pit Stop, Orlando Ambrosio, Cabeça do Ajax; Domenil, Marcelo do Rap, Jairo Santos, Dr. Márcio, Professor Laranjo, Márcio Ribeiro, Rodrigo Motta e Fábio Arerê; Denilson do Rozário, Léo Peres, Carlinhos da Chácara, Alex Saraiça, Marcelo Casa Nossa, Darlan Alves,Gui Cruz e Lula.

A quadra da Mocidade será aberta ao público às 22h deste sábado. Por volta de 23h inicia-se o show de samba e pagode para contagiar o público. O tradicional show com os segmentos da verde e branca tem previsão para começar à 00h30. Uma hora mais tarde a primeira parceria será convidada ao palco. Cada uma terá cerca de 25 minutos para se apresentar, através de 10 passadas da obra (duas sem bateria, três com, duas com o canto da torcida e mais três com bateria. Antes do anúncio ainda haverá apresentação artística do coordenador de passistas George Louzada. O anúncio do campeão é esperado para as 05h.

SERVIÇO

Final de Samba-Enredo da Mocidade Independente de Padre Miguel
Avenida Brasil, 31.146
22h
R$ 30 (Pista)
R$ 200 (Mesa com 4 lugares)
R$ 2.000 (Camarote para 25 pessoas)
Início das Apresentações: 01h30
Forma de Apresentações: 10 passadas
Anúncio do Campeão: 05h

Comentários