A escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel pode se tornar Patrimônio Imaterial do Rio de Janeiro. É o que prevê o projeto de lei 5.492/22, de autoria do deputado Átila Nunes (MDB). Conhecido pelo combate ao preconceito religioso, o parlamentar viu na homenagem ao Orixá da caça, das florestas e da fartura, uma forma de ampliar a bandeira da liberdade e respeito à diversidade religiosa. A escola da Vila Vintém vai levar para a Sapucaí neste Carnaval a história do seu padroeiro Oxóssi, conhecido como o caçador de uma flecha só.

Foto: Divulgação

“O samba é empolgante, impossível não vibrar. A representatividade que as escolas de samba dão para a fé afro-brasileira está baseada na crença de que a cultura é uma arma poderosa no combate ao preconceito”, afirmou Átila Nunes.

A agremiação realizou um ensaio no último dia 05 e contou com a presença do deputado, que foi relator da CPI que investigou os crimes de intolerância religiosa no Rio.

Comentários