O ex-presidente da União da Ilha do Governador Djalma Falcão faleceu nesta sexta no Rio de Janeiro. O compositor, que virou dirigente, foi um dos personagens mais marcantes da história recente da escola, a partir da retomada de bons carnavais capitaneados pelo presidente Ney Filardi.

Djalma é um dos compositores dos sambas apresentados pela União da Ilha nos carnavais de 1993, 1999, 2001, 2005 e 2015. Além disso possui obras marcantes pelo Boi da Ilha, escola da mesma localidade da União. Um dos sambas mais marcantes do Império da Tijuca, para o Carnaval 2010, também teve a participação do ex-poeta.

Após a saída de Ney Filardi em 2018, Djalma assumiu a presidência da Ilha e permaneceu até a volta de Ney, neste ano. Sob o comando de Djalma a escola tirou dos 10º lugares em 2018 e 2019 e um 13º lugar em 2020, que culminou com o regresso da escola ao acesso depois de 11 anos.

Luto na Ilha

A União da Ilha fez uma publicação em sua página nas redes sociais: “O presidente da União da Ilha Ney Filardi e sua diretoria lamentam profundamente o falecimento nesta sexta-feira, do ex-presidente da agremiação, Djalma Falcão. Antes de chegar à administração da escola, Djalma foi chefe de ala, presidente da ala dos compositores, vencedor de muitos sambas-enredo e vice-presidente. Que Deus possa confortar seus familiares e amigos neste momento tão triste. A União da Ilha está de luto”.

O compositor Marcio André Filho prestou sua homenagem para Djalma Falcão: “Djalma vai com DEUS, é uma notícia triste… sei que amava a @uniaodailha assim como nós fica aqui meus pêsames e um sentimento que poderíamos estar mais juntos, infelizmente as coisas não são como queremos … mas os planos de DEUS são maiores que os nossos que ele te receba no melhor lugar que se pode reservar”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.