Faleceu nesta quarta-feira o presidente de honra da Tradição, Nésio Nascimento, que durante anos comando a agremiação, inclusive, no Grupo Especial do Rio de Janeiro. Fundador da escola, ele ficou no comando por mais de 30 anos. Não foi informada a causa do falecimento, nem horário e local do velório e enterro. Hoje, a escola é gerida por Raphaela Nascimento.

Foto: Reprodução

A Tradição foi criada por familiares do ex-patrono da Portela, Natal, no mesmo ano do surgimento da Liesa. Seu nome de fundação foi Sociedade Recreativa e Cultural Portela Tradição, alterado posteriormente para SCR Amor e Tradição, devido a uma ação judicial proposta pela diretoria da Portela. Após uma reunião, decidiu-se pelo nome atual, já usado em seu primeiro desfile. A agremiação teve uma das ascensões mais rápidas da história dos desfiles do Rio de Janeiro, começando no Grupo 2-B (atual Grupo RJ-2) e chegando ao atual Grupo Especial em 3 anos, após um segundo lugar no Grupo de acesso em 1987. Após isso, a Tradição alternou alguns rebaixamentos e ascensões, tendo por duas vezes feito desfiles marcantes na opinião de muitos sambistas: em 1994, com o enredo Passarinho, Passarola, Quero Ver Voar!, quando conquistou a sexta posição do Grupo Especial, seu melhor resultado até hoje; e em 2004, quando reeditou um samba da Portela, Contos de Areia, prestando uma homenagem à escola na qual se originou, ao colocar no carro abre-alas o nome da Portela. Somente no segundo carro alegórico veio a inscrição “Tradição”. O desfile de 2001, foi o ano que mais atraiu a atenção do público, pois a escola homenageou o apresentador de TV e empresário Sílvio Santos, trazendo de quebra para o desfile figuras folclóricas do SBT, como por exemplo, o locutor Lombardi.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.