Hoje o amor está no ar, como cantou a Viradouro em 1998, no desfile “Orfeu, o Negro do Carnaval”. Neste 12 de junho, Dia dos Namorados, o site CARNAVALESCO ouviu dois casais especiais, o empresário e ritmista Duda Araujo e a porta-bandeira Marcella Alves, e, o diretor Junior Escafura e a também porta-bandeira Rafaela Theodoro. Unidos pelo carnaval, eles declararam suas paixões e jogaram para escanteio a expressão que “amor de carnaval só dura os quatro dias de folia”.

O carnaval vai muito além do desfile. Ele pulsa o tempo inteiro na vida de quem respira suas atividades os 365 dias do ano. A porta-bandeira do Salgueiro, Marcella Alves, ressalta que tudo o que construiu na folia foi fundamental, inclusive, seu relacionamento com Duda Araujo e os objetivos profissionais.

Casados desde 2012, Duda e Marcela reafirmaram o amor e aumentaram a família com uma filha

“O carnaval é um personagem com uma importância diferenciada na minha vida como um todo. Foi através do carnaval que consegui custear a minha graduação e pós graduação. E foi em um samba no Salgueiro, aos 17 anos, que conheci o Duda. Naquele momento, não poderia imaginar que com ele eu formaria uma família e que viveríamos tantas histórias juntos. Dizem que amor de carnaval não vai pra frente. Estamos aí para provar que toda “regra” tem exceção. O carnaval nos uniu e nos deu uma filha linda e uma família abençoada por Deus”, frisa Marcella.

Duda revelou que a paixão por Marcella Alves começou ainda no seu período de adolescente em 1997, esquentou em 2001, mas só ficou concreta em 2002.

“Tudo começou em 1997 quando comecei a frequentar a Caprichosos, e ensaiar para 1998, que foi meu primeiro desfile. Tinha 14 anos. Dali já rolou uma paixão de adolescência por minha parte. Depois disso só fomos nos conhecer mesmo em 2001 no Salgueiro, onde eu já estava tocando na bateria, e ela na escola. Saímos uma vez, brigamos e saímos de novo em 2002. Estamos até hoje. São 18 carnavais juntos, e casamos em 2012”, conta Duda.

Casamento na fábrica de sonhos das escolas de samba

Junior Escafura e Rafaela Theodoro são outros exemplos de amor que teve seu alicerce formado no carnaval. Aliás, eles casaram na Cidade do Samba.

“Muito se fala que o carnaval é uma festa profana e que o amor de carnaval só dura quatro dias. Isso não acontece. Ele é fonte de emprego, diversão de famílias e de grupos de amigos. O carnaval é amor. Pela festa, pela agremiação, é paixão à primeira vista. Acredito muito que o nosso amor foi à primeira vista. Em 2009, eu conheci o amor da minha vida. Era segunda porta-bandeira da Vila Isabel, fui convidada para uma apresentação na Portela e aí nasceu o amor de carnaval em nossas vidas e nos levou até o altar. O nosso grande dia, o casamento, foi na Cidade do Samba. Lá, as escolas constroem os sonhos dos seus desfiles e nós construímos o nosso como família. Escolhemos lá para cerimônia e foi um momento lindo e emocionante. Curtimos e nos entregamos de corpo e alma no ambiente que nós amamos”, explica Rafaela.

Escafura contou com riqueza de detalhes seu encantamento por Rafaela Theodoro.

“Primeira vez que vi a Rafaela foi em 2009 e na quadra da Portela. Eu era diretor de carnaval e harmonia e ela foi lá como segunda porta-bandeira da Vila Isabel. Lembro que a Vila levou gente pra caramba e fez uma super festa. Quando acabou a apresentação fui no compositor Leonel (que já faleceu) e perguntei quem era a porta-bandeira. Ele citou que ela dançava bem e falei que também era muito bonita. Ele brincou que ela era muito novinha, mas eu falei que só estava elogiando. Passou o tempo e fiquei sem contato com ela. Na semana do carnaval, eu estava na praça de alimentação da Cidade do Samba e ela estava sentada com a mãe e o Evandro Bocão. Foi quando falei com ela primeira vez. Passei a conhecer e acompanhar pelas redes sociais. Ela foi para Imperatriz, eu sempre frequentei a escola, e trocamos olhares. Até que uma vez chamei na rede social para elogiar o ensaio, começamos a construir a amizade, que virou paquera, namoro e casamento. Estamos juntos até hoje e formamos uma família maravilhosa”.

Amor e empresário

Marcella Alves cita um fato curioso. Tanto sua família, quanto a de Duda, não são envolvidas com carnaval.

‘A Marcella é minha vida’, diz Duda Araujo

“Tenho uma função que é a das mais lindas dentro de uma escola de samba. E sou mãe de uma mini sambista (risos) e esposa de um ritmista. E olha que nossas famílias não são envolvidas com carnaval. Só posso dizer coisas boas do Duda. Além de ser meu grande amor, é meu amigo, companheiro, grande pai e meu “empresário” (risos). Ao lado dos meus pais, é meu maior incentivador. Sempre acredita na minha capacidade e constantemente me estimula a novos desafios”.

Em poucas palavras, Duda fala de Marcella Alves: “A Marcella é minha vida. O samba mostra que é forte e que forma famílias felizes”, afirma o empresário, que também cuida da carreira da porta-bandeira salgueirense.

Herdeiro leopoldinense ou portelense?

Junior Escafura e Rafaela garantem que não levam para dentro de casa informações ou problemas enfrentados em suas escolas de samba. Hoje, ele é integrante da comissão de carnaval da Portela e ela segue como porta-bandeira da Imperatriz.

“Trabalhamos em agremiações diferentes e cada um respeita o espaço do outro e seguimos cada dia fortalecendo nossos laços e família. Isso é muito importante, deixar os problemas da porta para fora. Evitar ao máximo falar de carnaval no nosso ambiente familiar, e não entrar em discussões ou até polêmicas. Quando o carnaval fica com a rotina mais puxada buscamos estarmos mais presentes nas rotinas do outro. Temos isso na nossa relação. Cada vez mais nos fortalece. Na medida do possível, estamos juntos em ensaios e apresentações. Tenho ele como parceiro e sei que está disposto a me ajudar em qualquer situação, sempre sei que tenho aquele abraço que pode me aquecer”, diz a porta-bandeira.

‘Somos muito amigos, amadurecemos muito nessa relação’, diz o portelense

“Quando fui para Imperatriz ficou mais fácil termos tempo juntos, mas sempre deixamos bem separado a questão de eu ser diretor e ela porta-bandeira. Ano passado, eu voltei para Portela e voltamos ao início. Temos a brincadeira sadia da competição. Ela queria saber como viria a águia em 2020, mas nunca contei nada. Separamos bem. Somos muito amigos, amadurecemos muito nessa relação, vivemos muito bem e felizes”, completa o diretor portelense.

Rafaela declarou seu amor para Junior Escafura.

“Estamos juntos há 8 anos, casados há 7 anos, e, como qualquer outro casal temos dias mais ou menos, dias de amor, porém, a nossa cumplicidade é maior que qualquer obstáculo. Nossa união foi um presente que o carnaval nos deu. Encontro nele não só o amor de marido e mulher. É um verdadeiro amigo. Ele é muito meu companheiro. Uma pessoa incrível. Muito esforçado. Corre atrás dos sonhos e objetivos. Admiro muito. É um grande incentivador na minha vida. Muito do bem e sempre está disposto a ajudar o próximo. Ter um exemplo como o Junior em casa é uma honra enorme”.

Escafura terminou com uma declaração de amor para Rafaela Theodoro.

“Qualquer hora terá o herdeiro, muita gente cobra, mas qualquer hora teremos, não sei quando, mas vai chegar. Rafaela é a prova que existe amor verdadeiro no carnaval. Eu te amo. Serei sempre um eterno namorado apaixonado”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui