Por Victor Amâncio

O período do Natal é fundamental para curtir o tempo com a família, relembrar histórias e momentos, além de se deliciar com os quitutes da ceia. O site CARNAVALESCO ouviu os intérpretes Diego Nicolau, da Unidos de Padre Miguel, Leonardo Bessa, da Renascer e Tucuruvi, e a porta-bandeira Selminha Sorriso.

O intérprete da Unidos de Padre Miguel falou da importância do Natal para sua família. Ele disse que ajuda a sua mãe no preparo da ceia e aproveita para beliscar antes da hora. Para Diego, o Natal deve ser celebrado em família com muita união e abraços.

“Lá em casa a ceia é toda feita com muito amor pela dona Mirian Nicolau, minha mãe, e ajudo no que posso e é bom que eu aproveito para beliscar. Temos sempre os pratos tradicionais de Natal: a bacalhoada, bolinho de bacalhau, chester e salpicão. Passamos com a família reunida e aproveitamos para orarmos e nos abraçarmos”, explica Diego.

Para Selminha Sorriso, o Natal é uma data especial e de extrema importância. A porta-bandeira falou que este vai ser o primeiro ano passando com o novo namorado, Magal Clareou, e lembrou que passou alguns anos na casa dos amigos. Selminha disse que mantém a dieta nas festas de final de ano e que a única coisa que faz ela sair da dieta é a castanha.

“Eu amo o Natal, amo os pratos tradicionais, só não sou chegada em panetone. Faço um bacalhau no forno que as pessoas gostam muito e vou fazer esse ano pela primeira vez para o meu namorado. É um bacalhau gratinado e muita gente me pede a receita. Esse prato que eu faço e as pessoas adoram é um dos que eu mais gosto muito de fazer e de comer. Eu amo castanha, como um quilo de castanha e dizem que engorda e se tem alguma coisa que pode me engordar no natal é só a castanha pois eu consigo manter a dieta nas festas de fim de ano. Natal para mim é uma data importante para estar com as pessoas que a gente ama, se alimentando com paz, agradecendo, e mantendo a união”, completou Selminha.

Leonardo Bessa, intérprete Renascer de Jacarepaguá faz um pavê que já é famoso entre a família e os amigos. Ele disse que aprendeu a receita com a mãe e hoje é a sobremesa que não pode faltar.

“Eu aprendi a receita com a minha mãe, ela fazia o pavê e eu comia tudo, daí tive que aprender e hoje eu faço. Todo mundo come e não acredita que sou eu o autor mas a família e os amigos pedem sempre. Chester, pernil, rabanada e panetone são outros pratos que não podem faltar na ceia que vai ser na minha casa”, conclui Bessa.

Comentários