No terceiro ano com pontuação máxima no Grupo Especial, casal dedica marca a Xangô da Mangueira

4470

Por Lucas Santos

Matheus Olivério e Squel Jorgea são um casal de mestre-sala e porta-bandeira que possuem um entrosamento que vai além dos limites dos ensaios. É mais uma questão de linhagem. Matheus, apesar de mais novo, é tio de Squel. Ambos carregam o sangue de Xangô da Mangueira, pai de Olivério, que é considerado por muitos como o maior diretor de harmonia de todos os tempos.

Desde 2017 dançando juntos, quando Matheus ascendeu ao cargo de mestre-sala principal da escola e conquistou o direito de fazer par com Squel, que já estava na escola, ajudando a Verde e Rosa a conquistar o título em 2016. O casal ainda não perdeu um décimo sequer nestes três anos de parceria e em 2019 foi ainda mais especial por ter sido coroado com o título da Mangueira. Matheus explica um pouco do que tem feito a diferença para o casal.

“Trabalho, foco, determinação e fé. Para ser mestre-sala e porta-bandeira de uma escola como essa tem que ter noção do tamanho que essa escola é. E quando você entende essa dimensão, você tira forças de onde não tem”.

Apesar de carregar nos ombros uma enorme responsabilidade, Matheus explica que a experiência de Squel e o jeito de ser da porta-bandeira ajudam a diminuir o tamanho da responsabilidade e do desafio.

“Sou agraciado por dançar com a melhor porta-bandeira, uma mulher de caráter e que tem o meu sangue. Fico feliz por honrarmos a linhagem do Xangô da Mangueira”.

Squel Jorgea ao falar do desempenho do casal juntos não sabe explicar de onde vem tamanho sucesso.

“Não sei dizer pra você a razão. Eu só sei sentir, chorar, se eu pudesse eu começaria a ensaiar amanhã. Porque representar essa comunidade envolve uma responsabilidade muito grande”.

Ao ser perguntada sobre o futuro na escola, Squel está otimista, mas não dá nenhum tipo de confirmação até às eleições de abril serem realizadas.

“A intenção é permanecer, mas temos que esperar a eleição. Mas eu quero continuar por muitos anos. Tenho certeza que após essa eleição a escola vai continuar ainda muito unida e forte”.

A vontade de continuar na escola do qual possuem uma estreita relação pela descendência de Xangô é mais um exemplo de sintonia do casal. Matheus ao ser perguntado pela reportagem do CARNAVALESCO sobre o assunto, se limita com bom humor a confirmar a resposta da sobrinha.

“Ela (Squel) falou? Se ela falou, então tá falado (risos)”.

Comentários