Após a pancada no Carnaval 2020 e o rebaixamento no Grupo Especial, a União da Ilha pediu a benção de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, para vencer a disputa da Série Ouro em 2022 e recuperar seu lugar na elite do samba. Para isso, a tricolor escolheu o samba-enredo da parceria de Marquinhus do Banjo, Gugu das Candongas, Almir da Ilha, Júnior Nova Geração, Rafinha da Ilha, Romeu, Rafael Mikaia e Marcio André Filho. O resultado saiu após às 4h da manhã desta terça-feira. A escola será a quinta a desfilar na Marquês de Sapucaí e levará o enredo ‘O vendedor de orações’, que será desenvolvido pelos carnavalescos Severo Luzardo e Cahê Rodrigues. * OUÇA AQUI O SAMBA CAMPEÃO

Fotos de Allan Duffes

“A sensação é a mesma quando ganhei todas oitos vezes em que a Ilha estava no Grupo Especial. Com todo respeito, a Ilha não é uma escola do Grupo de Acesso. Aqui na Ilha a disputa é muito acirrada. Temos grandes compositores. Mais uma vez, eu tenho a felicidade de vencer. É a minha nona vitória. Ninguém esperava que a Ilha vencesse em 2009, ela surpreendeu e foi campeã do Acesso, se Deus quiser, seremos novamente”, disse o compositor Marquinhus do Banjo, em entrevista ao site CARNAVALESCO.

“A felicidade é muito grande. Agradeço aos meus parceiros. Juntamos todo mundo em prol da Ilha. Vamos voltar para o lugar que não deveríamos ter saído. O samba tem qualidade muito grande e vamos brigar para sermos campeões. Meu coração transborda de felicidade em ganhar na minha escola de coração. A imagem de Nossa Senhora é muito forte para todos nós, muita gente é devota, e isso nos motiva para irmos com tudo no desfile. Agora, vamos buscar a nota máxima e ir para cima pelo título”, garantiu o compositor Márcio André Filho.

‘Estamos vivendo com a ajuda dos insulanos’

Responsável por ótimos momentos da União da Ilha no Grupo Especial, o presidente Ney Filardi volta para o comando da agremiação e promete corresponder toda expectativa da torcida. “Voltar é sempre um frio na barriga depois de tanto tempo fora. Espero que a gente consiga colocar na Avenida um carnaval altamente competitivo e digno. Vamos fazer mágica, malabarismo, porque dinheiro está difícil. Até agora ninguém da Série Ouro  recebeu nenhum centavo sequer. Estamos vivendo com a ajuda dos insulanos. A escola aprovou a troca de enredo. Prometo muita dedicação e podem aguardar a Ilha muito bonita e alegre”, disse o presidente.

Wilsinho Alves, diretor de carnaval da Ilha, falou da retomada das atividades do carnaval e da sua volta para agremiação. Ele terá a parceria de Dudu Azevedo. “Planejamos essa volta, quando o presidente Ney assumiu em abril, ele decidiu trocar o enredo e disse que a gente teria disputa de samba. Foi muito acirrada. O retorno é sempre difícil, estamos ainda inseguros com algumas coisas, mas estamos tocando o carnaval. Fazer o Acesso é sempre difícil, mas a União da Ilha é uma escola muito forte. Temos uma equipe estrelada e o samba é mais um passo nesse caminho para vitória. Sabemos do desafio máximo de fazer o desfile com a verba da Série Ouro. Estamos sendo criativos, levando um carnaval na altura da disputa. O nosso planejamento está muito bem definido. O presidente Ney Filardi é uma figura agregadora, ele é necessário e fundamental para União da Ilha”.

‘Torcedor pode esperar a Ilha carregada de emoção’

Cahê Rodrigues e Severo Luzardo conversaram com o site CARNAVALESCO sobre o enredo, o desafio da Série Ouro e o resgaste da União da Ilha.

“O enredo mexe com os devotos de Nossa Senhora Aparecida. A santa emoldura todo esse carnaval. O samba não podia faltar emoção. Estou muito feliz na Ilha. De coração, os quatro sambas finalistas representariam bem a Ilha. O nosso enredo é muito claro. É um ato de superação através da fé. O escravo Zacarias, no momento de desespero, clama para santa e acontece o milagre que os grilhões se arrebentam. O vendedor de orações é tudo aquilo que a gente espera que o ser humano seja. A fé está presente no nosso coração e através dela podemos mudar qualquer situação. Estamos muito envolvidos com o enredo. O samba escolhido faz muita diferença no desenvolvimento plástico que estamos criando. O Carnaval de 2020 é para ser apagado da memória do insulano, como apaguei da minha, agora o torcedor pode esperar a Ilha reluzente, carregada de emoção, beleza e fé”, comentou Cahê Rodrigues.

“Nós temos que ter animação e alegria. O samba mais cantado vai para Avenida. O momento é tão difícil no Brasil e questionamos a intolerância que está acontecendo. O nosso enredo mostra que o caminho é possível e viável para mudar. Conseguimos tocar os corações. As pessoas podem esperar o resgate da fantasia, do lúdico, carnavalizar, entrar na Avenida bem vestido, colorido. A União da Ilha sempre foi brincante e com os componentes felizes interpretando seus enredos. É a coisa que mais queremos fazer agora. Tenho certeza que quando a Ilha se encontrar na concentração terá a emoção de se ver bem vestida e com os carros bem feitos e bem acabado. É a qualidade! O enredo fala de resistência e negritude. São as principais mensagens dele”, contou Severo.

Baterilha mantém o trabalho que deu certo

Responsáveis pela bateria da Ilha, os mestres Marcelo e Keko explicaram que vão manter a mesma proposta de trabalho para o Carnaval de 2022. “O samba nos permite ter boas criações. A proposta é dar continuidade ao ritmo de caixa, que é o nosso ponto forte, e manter o trabalho. Ainda não sabemos como será fantasia. Estou curioso também. Vamos levar o samba no andamento que a bateria gosta”, brincou mestre Keko.

“A escola está no Acesso, mas a bateria continua Especial. Vamos com tudo que temos de bom e do melhor. Se for possível, vamos com 280/290 ritmistas. A gente confia nos carnavalescos para fazer a fantasia”, completou mestre Marcelo.

Patrimônio da União da Ilha, o intérprete Ito Melodia ressaltou a importância de ter a volta de Ney Filardi novamente como presidente da escola.

“Foi um baque muito grande. A Ilha sabe a força que tem e o tamanho que ela tem. O presidente Ney voltou é um cara conhecedor de samba e da gente. Temos uma equipe maravilhosa. Estou muito feliz com a escolha do samba. O nosso refrão principal mexe no coração da gente. Podem esperar que vamos fazer um belo carnaval. Será uma incorporação geral”.

Energia positiva para o novo casal da Ilha

O carnaval 2022 terá novidade no quesito mestre-sala e porta-bandeira da Ilha. Marlon Flores e Danielle Nascimento chegaram e ressaltaram o clima da agremiação.

“A energia aqui é maravilhosa. É muito positiva. Estamos ressurgindo, renascendo, esquecendo tudo que ficou para trás e estamos muito feliz. A União da Ilha é alegria. Encontrar uma escola que nos acolhe com tanto carinho e amor não tem preço. Estamos acreditando em quem nos dá valor. Vamos lutar, juntar força e unir a vontade da Ilha de vencer e voltar o Especial”, disse a porta-bandeira.

“A Dani traz combustível para minha dança. A energia dela é maravilhosa. A gente se encontra muito bem. Isso traz felicidade na nossa dança. Vamos fazer jus para ajudar e voltarmos para o Grupo Especial”, finalizou o mestre-sala.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.