A secretaria estadual de Cultura e Economia Criativa lança nos próximos dias um novo edital para o mundo do carnaval do Rio de Janeiro. A novidade, segundo a coluna do jornal Ancelmo Gois, em O Globo, é a exclusão de quem foi contemplado pela Lei Aldir Blanc nos últimos 12 meses.

Além disso, um outro requisito é que os beneficiados precisam estar filiados uma liga, associação ou federação representativa do carnaval.

O valor para o novo edital triplicou. Antes, a verba era de R$ 1,4 milhão. Agora, o investimento é de R$ 3,9 milhões.

O Estado já aplicou cerca de R$ 5 milhões por meio da Lei Aldir Blanc em 103 projetos carnavalescos para patrocinar blocos, escolas de samba e eventos virtuais que apresentam a história de grandes ícones, como Nelson Sargento, Tia Surica, Beth Carvalho, Noel Rosa e Cartola.

Escolha dos sambas-enredo

O governador Cláudio Castro lançou na quarta-feira de cinzas um edital com uso do Fundo Estadual de Cultura vai garantir renda para profissionais que atuam na Imperatriz, Mangueira, Salgueiro, São Clemente, Paraíso do Tuiuti, Portela, Unidos da Tijuca e Vila Isabel. A escolha dos sambas-enredo será realizada em quatro etapas, todas com transmissão pela internet. As apresentações eliminatórias e as finais acontecem na Cidade do Samba, no Santo Cristo. As outras quatro agremiações da Liesa (Beija-Flor, Viradouro, Mocidade e Grande Rio) foram atendidas com recursos da Lei Aldir Blanc e contempladas com o mesmo valor.

No total, serão repassados, por meio do Fundo Estadual de Cultura, mais de R$ 1,5 milhão: R$ 150 mil para cada escola e patrocínios de R$ 100 mil e R$ 50 mil para cada associação ou liga. A ajuda é destinada para blocos e ligas de todo o estado que tiveram projetos aprovados pela Lei Aldir Blanc e que não foram contemplados.

Comentários