Com um enredo sobre arquitetura, a Unidos da Tijuca escolheu a ala das baianas para representar um dos maiores símbolos arquitetônicos do país: a catedral de Brasília, que foi inaugurada em 1970 e é considerada o primeiro monumento da moderna capital do Brasil.

Na saia das matriarcas, a catedral estava representadas nas cores branca e em diferentes tons de azul e passavam a impressão de que as baianas flutuavam refletindo a leveza dos traços modernistas e a luminosidade dos vitrais. Na cabeça, a catedral também estava representada de cabeça para baixo.

“Apesar de muito pesada, essa fantasia está linda e a gente vai passar bem. A emoção é a mesma da primeira vez, quando toca a bateria, o coração acelera e arrepia tudo”, contou Jessica Marconino, 25, que é baiana na escola há quatro anos.

Comentários