Parcerias finalistas da Beija-Flor preparadas para o confronto decisivo

1618

A Beija-Flor, atual campeã do Grupo Especial, escolhe nesta quinta-feira seu samba-enredo para o Carnaval 2019. Apenas duas obras estão na decisão: a parceria de Serginho Aguiar, Dr. Rogério, Kaká Kalmão, Márcio França, Jorge Aila e Carlinhos Ousadia; e a parceria de Di Menor BF, Julio Assis, Kiraizinho, Diego Oliveira, Fabinho Ferreira E Diogo Rosa.

O site CARNAVALESCO ouviu um representante de cada parceria sobre três temas. Confira abaixo.

O que a parceria prepara para final?

Compositor Serginho Aguiar: “Uma grande festa, na realidade… uma invasão rs. Vem gente de São Paulo, interior, Minas e até do Sul em caravanas pelo nosso samba. Impressionante essa comoção pelo samba. Adjacências de Nilópolis, toda Baixada… É um mar de gente, e vem uma surpresa na final”.

Compositor Julio Assis: “A surpresa faz um efeito danado e deixo um convite para os amantes do carnaval irem assistir nossa apresentação. Vai ser bem bacana, mas não temos como revelar muita coisa. Temos amigos no outro samba finalista, mas no final, não deixa de ser uma disputa. Mas posso adiantar que faremos uma festa linda, o que já é característico da nossa parceria em todas as apresentações que fazemos. Muitas surpresas bacanas para quem acompanha a história da Beija-Flor. Pista rs”.

Qual a sua parte preferida do seu samba?

Compositor Serginho Aguiar: “Comunidade que me ensinou a ser apaixonado como eu sou comunidade que me ensinou… Ontem, hoje, sempre, Beija-Flor”. Acho que é o resumo do que representa a Beija-Flor para o povo nilopolitano, essa fidelidade, a paixão desse povo da Baixada”.

Compositor Julio Assis: “Toda essa grandeza, vem da nossa gente que esquece a dor e só quer sambar” e “Você me conhece de outros carnavais. A Deusa do Samba, dos desfiles imortais. És a minha vida meu eterno amor, voar mais alto é o dom da Beija-Flor”. O primeiro trecho diz muita coisa pra gente que vive na escola, quase que 365 dias por ano. Vejo muitos componentes voltando a pé para casa tarde da noite após um ensaio cansativo e são essas mesmas pessoas que muitas vezes estão com muitos problemas pessoais, que levam nossa escola à vitória. No segundo trecho que é nosso refrão principal, fazemos uma alusão aos grandes desfiles que a Beija-Flor já fez até hoje”.

O que representa estar na final de samba dos 70 anos da Beija-Flor?

Compositor Serginho Aguiar: “Não ganho desde 2012 na escola. São 7 anos, quarta final seguida, Deus e os invisíveis escolhem hora certa das coisas acontecerem. Comecei na Beija-Flor em ala comercial em 1995, passei para ala de comunidade, depois fui tricampeão em 2010, 11, 12. 70 anos de Beija-Flor é a síntese da minha história, da minha família que e toda da Baixada. Beija-Flor é meu espelho, reflete minha alma de sambista, resumo da minha história no samba”.

Compositor Julio Assis: “É surreal pra mim e meus parceiros fazermos parte de uma das principais alas de compositores do carnaval. Somos novos e nunca imaginávamos de ter uma samba que ajudou no título do carnaval de 2018, considerado um dos melhores sambas do ano, e aí no ano seguinte, estamos na final novamente. Sabemos da nossa responsabilidade e assumimos isso. Todo ano sentamos para compor, sabendo que temos uma linda, imponente e importante comunidade para representar através do quesito samba-enredo. Estamos participando da nossa quinta final consecutiva em nossa escola e estamos muito preparados e cientes do que temos que fazer na quinta-feira. Será uma final de samba-enredo incrível, com dois belíssimos sambas”.

Comentários