Por Gustavo Lima

O Pérola Negra realizou seu segundo e último ensaio técnico na noite desta quinta-feira no Sambódromo do Anhembi. O treino foi marcado pela ótima exibição da comissão de frente e a harmonia satisfatória da escola, também pelo fato de a agremiação estar numerosa, apesar de o ensaio ter sido no meio da semana. A “Joia Rara” do samba terminou seu treino com muita festa dos componentes, que estão celebrando a volta ao Grupo Especial depois de três anos na divisão inferior.

“Hoje deu uma boa melhorada, conseguimos ajustar o tempo, os movimentos, e pelo menos na minha opinião, eu acho que foi bem melhor do que o primeiro. O fato de a escola estar sendo cotada na parte de baixo só me fortalece, meu carnaval está muito bonito, e não é porque eu acabei de sair do Acesso, que obrigatoriamente eu vou voltar. Eu vou permanecer no Especial, se Deus quiser”, declarou a presidente Sheila Mônaco.

Samba-Enredo

O samba do Pérola Negra se destaca por sua letra. Pode não ser o samba do ano, mas é muito bem interpretado por Daniel Collete, que está indo para seu vigésimo carnaval em São Paulo, como também explica de uma forma acertada o enredo da escola, tem uma fácil leitura, além do fato de que a obra teve uma assimilação clara por parte dos componentes, que estão cantando forte seu hino para 2020.

“Papai do céu ajudou dessa vez, quer dizer, ajudou das duas vezes e eu prefiro assim, das adversidades a gente tirar o melhor. E eu acho que da outra vez lavou tudo pra hoje vir esse mar de gente em uma quinta-feira, amanhã é dia de trabalho, o paulistano não libera de jeito nenhum seu cotidiano e liberou hoje pra ensaiar no Pérola. Mais uma vez, a escola se postou bem na avenida, entrou bem, saiu bem, alguma coisa ou outra a gente vai ter que arrumar, é óbvio que é um ensaio, e a gente vai conversar e se ajustar. Quem me conhece sabe muito bem que eu gosto de trabalhar com as adversidades, essa atual gestão do Pérola pegou a escola com uma dívida alta, fizemos um carnaval digno em 2018, mais que digno em 2019, até que subimos sendo candidata a cair, e eu prefiro que continue achando assim (sobre terminar na parte inferior da tabela)”, disse o intérprete oficial Daniel Collete.

Bateria

A bateria de mestre Neninho optou por um andamento alto e abusou das bossas, que foram executadas em praticamente todas as passagens do samba. As caixas ditam o ritmo da bateria e é dominante em todos os arranjos, com destaques para as bossas do refrão do meio e dos três últimos versos do samba.

“Melhorou em relação ao primeiro ensaio, temos que vir em constante evolução. No primeiro ensaio, como a gente tem muitos arranjos, um ou outro não estava preparado pra pista, trabalhamos em cima deles, fizemos um ensaio só de bateria aqui no Anhembi, ajustamos e eu pedi pra ser um ensaio 100% hoje, e a meu ver e dos diretores, alcançamos esse 100%. Desde que eu me conheço como mestre de bateria, quando não era obrigatório fazer arranjo, eu sempre apresentei pro espetáculo. Eu aprendi que além dos jurados, temos que fazer espetáculo, não tivemos que nos adaptar a esse modo, mas em relação ao critério está tudo certo, a gente vai colocar ritmo pra escola pulsar e as bossas para os jurados ouvirem, com 8, 16 ou mais compassos. Abrir os desfiles no sábado é muita pressão, é um horário nobre, não desmerecendo a sexta, mas lutamos pra isso e queríamos isso. A pressão é muito grande, ainda mais que têm baterias muito boas que vem depois de nós. Vamos tentar deixar o chão bem quente pra eles passarem e fazerem o melhor deles também”, concluiu o mestre Neninho, diretor de bateria da agremiação.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal do Pérola Negra havia sofrido no primeiro ensaio com a forte chuva, o que impossibilitou a prática da evolução desejada, mas neste ensaio, a dupla passou com a pista em boas condições, evoluíram bem e tiveram uma apresentação segura. O casal foi fantasiado de dourado e predominou o bailado intercalado com a coreografia em sua apresentação.

Harmonia

A escola passou muito bem nesse quesito, a comunidade teve um desempenho satisfatório em todos os setores. As alas eram orientadas o tempo todo pelos seus coordenadores e harmonias, onde fizeram os componentes cantarem o samba com clareza. Destaque para a ala dos ciganos, que cantaram muito forte, além de fazerem uma coreografia que dá um efeito especial na ala, até pelas vestimentas, roupas coloridas que se movimentavam muito.

Evolução

Apesar de o ensaio ter sido realizado no meio da semana, a escola levou muita gente para o Anhembi, aparentemente ainda mais do que no primeiro. O Pérola Negra apostou em muito em alas coreografadas. No geral, o desempenho no quesito foi seguro, não houve presença de buracos e nem espaçamento entre as alas.

Comissão de Frente

Foi o quesito destaque da noite. Os componentes estavam vestidos com roupa de exército, mostrando muito sincronismo e repertório em sua apresentação, dançando como ciganos e fazendo a coreografia de forma compacta. A ala usou um tripé, onde os componentes se alternavam para fazer a apresentação teatral sendo intercalada com a coreografia citada acima.

Comentários