Personalidades do samba a partir de 85 anos são vacinadas no Sambódromo contra a Covid
O portelense Monarco foi vacinado no Sambódromo com outras personalidades do carnaval – Beth Santos/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio iniciou simbolicamente por personalidades do samba, na manhã deste sábado, a repescagem da vacinação contra a Covid-19 de idosos a partir de 85 anos, no Sambódromo, na Cidade Nova. O compositor Monarco, de 87 anos, foi uma das pessoas imunizadas na Marquês de Sapucaí, junto com outros sambistas. Emocionado, o baluarte da Velha Guarda da Portela fez um apelo.

“Que todos os idosos venham se vacinar. Eu quero cantar para o meu povo, quero subir no palco. Estou com saudade dos meus amigos, da Velha Guarda da minha Portela querida”, revelou Monarco, que lembrou de companheiros que morreram vítimas da Covid-19, como o compositor Aldir Blanc e o sambista Ubirany, do Cacique de Ramos.

Ao lado da esposa Olinda Diniz, o compositor cantou alguns sucessos, como “Coração em desalinho”, samba que fez com o parceiro Ratinho e que foi imortalizado na voz de Zeca Pagodinho.

Outros três sambistas se vacinaram na Marquês de Sapucaí: Nedyr Torquato, de 85 anos, um dos fundadores da escola de samba Ilha do Governador; Lizette José dos Prazeres, 85 anos, da Velha Guarda do Império Serrano; e Marsilia Lopes, 85 anos, considerada a Mãe dos Destaques da Portela.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, comemorou o fato de o tempo médio de vacinação na cidade, até agora, não ter passado de 15 minutos.

“A gente completou agora 240 mil doses de vacinas aplicadas. A meta desta semana foi vacinar os idosos acima de 85 anos e a Prefeitura conseguiu cumprir. O Rio é a cidade do Brasil que mais vacinou, com o maior percentual (3,3%) da população já vacinada. Agora, a gente espera novas remessas de doses para poder manter o calendário”.

Comentários