Por Juliana Cardoso

Assim como a Santa Cruz, o Unidos do Porto da Pedra escolheu homenagear na Avenida em 2019 um veterano ator negro. Com o enredo “Antônio Pitanga, um negro em movimento”, a escola de São Gonçalo levou para seu desfile uma alegoria que festeja o ator e sua relação com o Rio de Janeiro. O quarto carro da escola cruzou a Passarela do Samba com a presença de Antônio, que desfilou radiante e vestiu um tradicional traje de malandro, e de amigos e familiares do artista.

“Estou muito feliz por receber esta homenagem em praça pública, no melhor espaço do mundo, que é o Sambódromo. É um teatro! A cultura é uma fonte enriquecedora. Vim para receber os aplausos dos cariocas e a alegria desse povo”, disse Antônio momentos antes de tomar seu lugar na alegoria.

O ator baiano chegou ao Rio de Janeiro na década de 1960 e se encantou pela singularidade do jeito carioca de ser. A alegoria que fechou o desfile foi intitulada como “O Rio de Janeiro Faz Festa para Antônio Pitanga” e trouxe referências a pontos turísticos da cidade que abraçou o artista. Um grande queijo em formato de chapéu foi colocado na dianteira do carro, lugar ocupado pelo homenageado.

Na parte lateral, o carro apresentou uma simbologia ao carnaval de rua carioca, com componentes vestidas de colombinas e posicionadas em cima de cartolas. Atrás, uma grande escultura de um pierrot deu um ar teatral à alegoria. A famosa estampa do calçadão de Copacabana dava acabamento a parte inferior do carro e os Arcos da Lapa, na parte da frente, abrigaram a velha-guarda e alguns amigos íntimos de Antônio.

“Sou amigo do Antônio há muito tempo, desde Corpo Santo em 1987. Eu o acho fundamental para a cultura brasileira e por isso estou aqui. Ele é raiz e representa um monte de gente. Acho uma obrigação estar aqui homenageando este grande pai em seus 80 anos”, afirmou o ator Chico Dias, que estava no carro.

Os filhos, Rocco e Camila Pitanga, também marcaram presença no desfile da vermelha e branca e se mostraram emocionados com a homenagem ao pai.

“Representar Antônio Pitanga na avenida é de uma responsabilidade imensa, é uma grande emoção. Ele é um negro de sucesso e representa a negritude. Porque nós, negros, somos a base deste país, que ainda precisa avançar muito e entender nossa história”, disse Camila.

E Rocco completou: “É uma verdadeira delícia representar a grande história do pai na Avenida. Eu e Camila somos os desdobramentos da grandioso caminhada de Antônio, mostrada na Marquês de Sapucaí”, disse, orgulhoso.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui