Eleito presidente da Liesa em maio do ano passado, Jorge Perlingeiro, conversou com o site CARNAVALESCO logo após a apuração do Grupo Especial do Rio de Janeiro. O dirigente abordou diversos assuntos, dentre eles, o carnaval de 2022, o que se deve melhorar para o próximo e a estrutura do espetáculo.

Foto: Divulgação/Liesa

“A perfeição ninguém chega, mas já foi uma melhora considerável. Se analisar dois anos de adiamento, quatro adiamentos que foram marcados e desmarcados, depois de tudo certo para fazer em fevereiro, um novo adiamento, tudo podia, menos o carnaval, aquela perseguição, que invés de nos derrubar, nos levantou”.

Grande Rio campeã
“Completar 30 anos de apuração foi um marco e poder homenagear a Grande Rio, que a tanto tempo não levava um título, uma escola desse porte, já bateu na trave algumas vezes seguidas. A Beija-Flor já está acostumada a ganhar tantos títulos, até o pessoal da Beija-Flor foi abraçar a galera da Grande Rio, isso é prova de carinho, amizade, fraternidade e respeito entre as nossas agremiações”.

Desfile das campeãs
“Acho que vamos ter um desfile das campeãs fantástico. Todas que voltam, voltam por merecimento e o povo vai estar lotando a Sapucaí novamente para esse desfile”.

Melhorias na apuração
“Nosso projeto é fazer na Cidade do Samba. A ideia é fazer com 100 componentes de cada escola, com a camisa, não com a camisa do enredo, com camisa da marca da escola, carro de som e quando tiver o resultado, o campeão vai pro carro de som a bateria vai atrás tocando e dando volta olímpica”.

Planejamento para carnaval no meio do ano em 2023
“Tenho falado muito sobre isso. Vou levar o assunto para a Prefeitura, que é quem a primeira interessada, caso haja receptividade do prefeito, vou levar para o plenário da Liga para discutir. Um carnaval sem disputa, uns 1000 componentes por escola, pode ser dois dias, é para turista. Férias na Europa e nos Estados Unidos em julho. Turista não gosta de ficar 5, 6 horas em lugar nenhum, tanto que você vê o que o setor 9 fica vazio depois de 2h da manhã. A ideia é colocar 30 minutos para cada escola, com 1000 componentes. Vamos fazer sobre temas importantes: sobre a cidade ou Brasil. Cada escola vai fazer um tema pensando em uma prova de amor ao Rio de Janeiro ou Brasil. Uma vai falar do Sul, outra do Nordeste e vamos fazer por sorteio para ninguém dizer que queria falar de tal assunto e não pôde. A Liga não pode ficar restrita a um mês de trabalho. Tem que ter um outro evento para a gente fazer nosso caixa, ganhar um pouco mais e trazer mais alegria para o carioca”, declarou Jorge Perlingeiro, presidente da Liesa.

Comentários