A Estação Primeira de Mangueira escolheu o enredo “Angenor, José e Laurindo”, para homenagear Cartola, Jamelão e Delegado. A escola entrou como uma da favoritas, mas acabou sendo muito penalizada em alguns quesitos, como samba enredo e terminou na sétima colocação. Em entrevista para o site CARNAVALESCO, Elias Riche, presidente da Verde e Rosa falou sobre o resultado.

Foto: Site CARNAVALESCO

“Ficou muito aquém do que a Mangueira imaginou. Temos que aceitar o regulamento. Fico triste porque acho que algumas notas não foram justas, ficou muito triste com o resultado, mas quem sou eu para falar. Todas as escolas fizeram um grande desfile e tiveram condições de disputar. Eu preciso saber as justificativas dos jurados”.

O diretor de harmonia, Renato Kort, questionou algumas notas que a Verde e Rosa recebeu, como em enredo e bateria, mas vai esperar as justificativas para saber onde a escola errou.

“Algumas notas nossas que foram dadas eu questiono, como em enredo, samba enredo, bateria, mas agora é esperar a abertura dos envelopes com as justificativas para saber onde a gente errou. O que fica de legado é que o mangueirense fez um carnaval feliz, pra ele, homenageando quem ele queria homenagear”.

Evelyn Bastos, rainha de bateria, declarou antes da apuração que apostava no título da Mangueira, mas não aconteceu. A sambista declarou que o resultado foi decepcionante.

“O resultado foi decepcionante. Ficamos muito sem entender as notas que perdemos em bateria, em enredo que foi inexplicável. Agora vamos esperar as justificativas e com todo respeito aos jurados, mas um enredo com três grande nomes da nossa escola, três lendários nomes e foi um resultado inesperado. Vamos esperar as justificativas para entender esses décimos perdidos que tanto nos decepcionou”.

Comentários