Por Guilherme Ayupp e Lucas Santos. Fotos: Allan Duffes

O clima ficou tenso na madrugada deste domingo, na quadra do Império Serrano, por volta das 4h da manhã, quando a presidente Vera Lúcia subiu ao palco para anunciar o resultado da obra campeã para o Carnaval 2020. Ao discursar, a dirigente falou que tinha sido voto vencido na escolha e que por isso estava se afastando do comando da verde e branco da Serrinha. Os vencedores foram os compositores Aluísio Machado, Lucas Donato, Senna, Matheus Machado, Luiz Henrique, Thiago Bahiano, Beto BR, Rafael Prates e Renan Diniz.

“Fui voto vencido. Sou uma pessoa muito transparente naquilo que faço. Infelizmente, eu perdi. O samba que eu queria não vai para Avenida. Pra mim, era o melhor samba que a gente podia ir para Avenida. Estou muito triste. Não estou desmerecendo os outros. Estou me retirando da escola”, disse Vera Lúcia no palco do Império Serrano.

Imediatamente, ela deixou o palco e não esperou o intérprete Leléu cantar a obra vencedora para o desfile de 2020. Após o anúncio do samba campeão, houve briga entre os imperianos.

Vera não gostou da forma que mestre-sala Diogo Jesus saiu do Império

Durante a final, a presidente imperiana conversou com o site CARNAVALESCO e revelou não ter gostado da forma que o mestre-sala Diogo Jesus saiu para a Mocidade.

“Isso foi uma coisa que não foi feita decente porque ele ao invés de vir aqui se despedir, se desligou por telefone. Eu não achei bonita a postura dele, mas vida que segue, peguei meu segundo, que é bom demais”, afirmou Vera, que também comentou a situação financeira da escola e como desenvolver carnaval sem subvenção.

“Nós estamos tendo dificuldade para fazer o carnaval. Mas conseguimos graças a Deus pagar as dívidas e hoje o Império Serrano está quitado. Eu não devo um tostão ao mundo do samba. Não gosto nem de pensar que não teremos a subvenção. Isso me assusta muito”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui