A Liga-RJ, responsável pelos desfiles da Série Ouro, na sexta e sábado de carnaval, na Marquês de Sapucaí, lançou uma grande novidade para gravações dos sambas-enredo dos desfiles do ano que vem. Macaco Branco, mestre de bateria da Vila Isabel e um dos maiores músicos do samba, foi o escolhido para ser o produtor das obras de 2022, que vão ser divulgas em CD e nas plataformas de áudio. Das 15 escolas da Série Ouro, apenas Cubango e União da Ilha ainda não escolheram suas composições. A primeira fará a final no domingo e a agremiação insulana decide seu samba-enredo na segunda-feira. Leonardo Bessa produzia os sambas há 20 anos e ficou até o Carnaval de 2020. Seu trabalho era sempre muito elogiado por todos os sambistas e ganhou dois discos de ouro.

Foto: Divulgação/Liga-RJ

Ao site CARNAVALESCO, ele falou sobre o convite, o desafio e avisou quer as gravações já começam na próxima semana.

“É muito gratificante receber esse convite do presidente Wallace Palhares. Fiquei muito feliz, porque é um trabalho que amo fazer. Vivo dentro do estúdio, trabalhando, produzindo, criando, montando arranjos, inclusive, no estúdio que tenho em casa. É o reconhecimento do meu trabalho. Todo mundo que acompanha os clipes dos sambas vê que participo da grande maioria. Faço os arranjos, percussões e complementos de cada faixa. A Liga-RJ tem grandes escolas que admiro e acompanho tem muito tempo”, disse.

Para os apaixonados por carnaval, a boa notícia é que os sambas estarão nas plataformas de áudio, mas também haverá uma tiragem do disco. Macaco Branco prometeu arranjos bem elaborados para todas faixas das 15 escolas.

“Vamos subir em todas plataformas de áudio e teremos também uma tiragem do CD físico, porque sabemos que existe um público que faz coleção, curte ter o disco, ter o álbum na mão, vê a capa. Vamos contar com os componentes das escolas, os apoios do carro de som de cada agremiação, seis ritmistas de cada escola, será inteiramente com os componentes participando das suas faixas. Os arranjos vão ser muito bem elaborados, mas tudo em comum acordo com o diretor musical, cantor e mestre de bateria de cada escola. A nossa ideia é que o componente quando for ouvir sua faixa ele se sinta bem representado e diga que essa é a característica da minha escola, olha o que a gente faz na quadra”.

Macaco Branco revelou também detalhes da produção e do local escolhido para gravações.

“Cada escola poderá fazer seu alusivo, com grito de guerra, vão ser duas passadas do samba com bateria, subindo na cabeça do samba. O trabalho é voltado para o sambista. Fazer um CD que o cara não consiga parar de ouvir. Começamos a gravar na próxima semana e finalizamos a produção com o álbum pronto no dia 22 de novembro. Vamos gravar no M&C Estudio, que é um dos melhores do Rio de Janeiro. Tenho certeza que será um excelente trabalho”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.