Por Guilherme Ayupp e Victor Amâncio

Desde sua reconstrução, a partir de 2013, a Portela não apenas passou a frequentar as primeiras colocações do Grupo Especial, com direito a um título em 2017, que lhe rendeu inclusive a liderança no ranking da Liesa, mas se transformou em um dos chãos mais impressionantes do carnaval. O portelense não é de esganiçar a voz como outras escolas, mas o padrão de canto é em elevado nível. O Guajupiá é em Madureira! E isso pode ser mais uma vez constatado no ensaio de comunidade da escola às quartas-feiras, no sagrado Portelão, que o site CARNAVALESCO acompanhou e analisou.

Samba-Enredo

O samba que chegou a ser chamado de toada durante a disputas de sambas não para de crescer. E melhorou ainda mais a partir da interpretação impressionante de Gilsinho. O intérprete já tem o seu nome gravado nas gloriosas páginas da Portela, como um dos mais representativos cantores da história portelense. O samba tem funcionamento perfeito e o músico permanece no meio das alas incentivando cada componente durante todo o ensaio, se posicionando cada hora em ponto da quadra. A julgar pelo que se viu na quadra a Portela dará um sacode na avenida na manhã de segunda-feira de carnaval. A letra forte com versos como “índio pede paz, mas é de guerra” mexe com a emoção do componente.

“A escola está cantando bem e até surpreendendo a gente. O samba está na mente de todo mundo e já estou podendo trabalhar outros momentos que vamos levar para a avenida. Os ensaios de rua já será um outro momento, mas acredito que o nível permanecerá alto, é isso que a gente quer”, elogiou o intérprete Gilsinho.

Harmonia

Bom samba, harmonia perfeita. É comum nessa fase do processo de ensaios, ainda sem treinos na rua, que a comunidade procure ainda se adequar ao samba, mas não é que acontece na Portela. Os desfilantes da Majestade do Samba já demonstram um total domínio da obra e o volume de canto já é aquele padrão de desfile. Nas passadas sem a bateria, o canto da escola demonstrou muita qualidade, sem cair em momento nenhum do ensaio que durou cerca de uma hora e meia.

“Ensaio foi maravilhoso, a cada dia que passa cantam mais forte. Quando ganha um samba que a comunidade e os segmentos desejam é mais fácil trabalhar. Foi exatamente o que aconteceu na Portela. Agora é só lapidar para chegar muito bem na avenida no domingo de carnaval”, disse Júnior Escafura, da comissão de carnaval e harmonia.

Evolução

Assim como a harmonia, a evolução portelense também se encontra em estágio evoluído. Fruto de um trabalho contínuo que faz da escola uma das mais competitivas do Grupo Especial. Embora na quadra a percepção do quesito seja diferente de ensaios de rua, é possível destacar a força da evolução portelense, com componentes soltos, se divertindo, dançando o tempo todo, sem deixar de cantar o samba, em quase 2 horas de ensaio. Fazendo coreografias durante alguns trechos do samba, as alas estão soltas e
com muita alegria.

Bateria

A Tabajara do Samba ajuda perfeitamente no rendimento do samba durante o ensaio. Primeiro é digno de registro o entrosamento do mestre Nilo e do intérprete Gilsinho, junto de todos os ritmistas. Além disso, as bossas e convenções permitem que o canto e a dança dos componentes atendam aos requisitos de ambos quesitos. Com duas bossas e uma paradinha, a bateria mostrou segurança nas realizações e muito bem encaixadas com o canto, tanto da comunidade quanto do carro de som.

“Estou gostando muito do desempenho, ainda vou colocar mais uma bossa, vamos colocar três bossas no desfile. O andamento estamos entre 144 e 145 BPM (batidas por minuto), mas ainda estamos fazendo testes para chegarmos naquele ideal para o nosso desfile”, analisou o mestre Nilo Sérgio.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui