O recado foi muito bem dado nas urnas. Os eleitores da Cidade Maravilhosa derrotaram o bispo licenciado da Igreja Universal, Marcelo Crivella, com mais de 715 mil votos de vantagens para Eduardo Paes. Foram 1.629.319 para Eduardo e 913.700 para o bispo. Os sambistas estão de alma lavada, ainda mais depois que o atual prefeito atacou a entidade de seu Zé Pilintra, quinta-feira, no debate da TV Globo.

“O Eduardo dava R$ 70 milhões para o carnaval porque queria desfilar, ia lá com o chapeuzinho do Zé Pelintra. Saia na capa do jornal, queria autopromoção, por isso pegava dinheiro das pessoas para se promover”, disse Crivella.

Por isso, neste domingo, milhares de sambistas, apaixonados por carnaval e religiosos, foram votar com o querido chapéu. Eduardo Resino e o pai, conhecido como Chumbo, produzem os chapéus que ficaram famosos na quadra da Portela. Ao site CARNAVALESCO, Eduardo comentou o que sentiu quando ouviu a declaração de Crivella.

“Estava assistindo o debate e fiquei surpreso com o tom que ele (Crivella) usou. Parecia algo que já o incomodava bastante tempo. É uma total falta de empatia dele e preconceito com os sambistas e todos religiosos de matrizes africanas. Na hora senti repúdio. O meu maior público é formado por essas duas linhas e sou muito grato a isso”, disse.

O produtor dos chapéus contou que a procura aumentou após a declaração de Crivella. Ao lado do pai, ele personalizam ao gosto do cliente.

“Após o debate o número de vendas cresceu. O chapéu personalizado para as escolas de samba é criação do meu pai. Antes, eles não levavam os nomes bordados das escolas e nem símbolos. Eles podem ser usados por homens e mulheres. Para jovens e crianças, nós temos uma modelagem menor”, explicou.

Os interessados em adquirirem os chapéus personalidades podem entrar em contato pelo telefone (21) 99937-4645. O valor varia de R$ 25 a R$ 50.

Comentários