Ricardo Barbieri volta a assinar coluna no CARNAVALESCO

515

Por Ricardo Barbieri

O retorno do site CARNAVALESCO marca o resgate de um espaço nobre dedicado à informação. Espaço raro. Os que permitem opinião independente são raríssimos. Muitos invocam ser porta-voz do samba. Mas a voz do samba ecoa na diversidade.

Seria possível, para o samba, existir numa só tribo. Uma só linguagem formada por todas as etnias, classes sociais, escolaridade e gêneros, distribuída pelas quadras das escolas de samba. Lá mesmo onde rolam as atividades de produção artística que alimentam a cultura carioca.

Seria possível. Mas escola de samba não é, como poderia ser, um ambiente necessariamente democrático. É, na verdade, um espaço onde o paradigma é  “manda quem pode, obedece quem tem juízo”. Nicho de um tipo de poder que seleciona quem deve ter acesso a eventos, passando por censura e exclusão.

Existe uma cisão criada por quem considera o carnaval apenas uma maneira de ganhar dinheiro e de dominação das comunidades.

São castas estabelecidas entre aqueles mais “chegados” que pertencem a intimidade do poder e os que mansamente colaboram. Os níveis hierárquicos são determinados, não por competência, mas por “afinidades”.

Os veículos de comunicação e seus integrantes podem ter mais ou menos acesso, dependendo do quanto “colaboram” em suas análises com os interesses desse poder.

Permanecer asséptico dentro deste ambiente faz parte da manutenção da credibilidade do veículo de comunicação.

Manter o equilíbrio e manifestar opinião sem se deixar contaminar por idealismos, adulação ou rancor é o desafio proposto para os críticos. Usar a imprensa como ferramenta para atingir interesses individuais não é raro.

Em alguns casos, falta maturidade para entender o tamanho da responsabilidade que se impõe na utilização de um espaço nobre na mídia.

O compartilhamento da opinião exige firmeza e compromisso. Num ambiente ambíguo como é o carnaval, onde o jornalismo serpenteia entre verdades convenientes e mentiras repetidas exaustivamente, cabe a cada um cuidar de ter a consciência leve e o espírito livre.

Portanto, bem-vindos de volta “carnavalescos” leitores do site. Boa sorte para todos nós.

Comentários