A polêmica ainda segue sobre o futuro dos desfiles na Intendente Magalhães. De um lado, a Liesb que comandou a Série B até 2019. Do outro lado, a Livres criada após uma ruptura com a Liesb. Procurada pelo site CARNAVALESCO, a Riotur se posicionou sobre o futuro do Acesso.

“A Riotur informa que já definiu e já comunicou que o repasse será realizado diretamente às escolas de samba conforme determina a legislação, independentemente da liga a qual é filiada”, diz a nota dada pela Riotur ao CARNAVALESCO.

Sendo assim, as próprias escolas vão ter que definir em qual Liga vão desfilar, mas aí surge uma questão complexa: em qual dia e em qual lugar. O prefeito Marcelo Crivella afirmou que dará R$ 3 milhões de subvenção, mas até o momento não informou quando será feito o depósito e nem publicou a autorização para o custeio no Diário Oficial.

A Liesb decidiu unir as antigas séries B e C em um chamado Especial da Intendente. O antigo Grupo D será chamado de Acesso. Pela Livres estão oito escolas fundadoras (Unidos de Lucas, Tradição, Arame de Ricardo, Siri de Ramos, Vizinha Faladeira, União do Parque Curicica, Engenho da Rainha, Alegria da Zona Sul) e a Caprichosos de Pilares.

O site CARNAVALESCO procurou a Livres e a Liesb sobre a decisão da Riotur e se existe alguma possibilidade de diálogo entre as duas instituições.

Posicionamento da Livres

“Como de acordo em nossa última reunião com a Riotur, foi definido que, a própria Riotur vai pagar a cada escola de samba da Série B, sendo assim a responsabilidade de estar com estatuto certo, ata correta e outras coisas correlacionadas a regularidade ficam por conta de cada escola. Colocando a Liga apenas para gerir as agremiações filiadas. Como uma liga que se preocupa com o futuro do carnaval, nós da LIVRES compreendemos o posicionamento da Riotur e por um lado, achamos uma ótima definição. Pois a partir de então, a prestação de contas vai estar na responsabilidade de cada escola. Mas por outro lado, se torna uma coisa limitada, pois a liga não vai ter como controlar a dívida de cada uma das escolas, em relação a carta de crédito e coisas assim. De início, acredito que as escolas terão um pouco de dificuldade em relação a prestação de contas com a Riotur, pois não é apenas isso, tem toda uma cartilha a ser seguida a mando do órgão. Entretanto, seguimos para que o melhor seja feito em relação ao carnaval”.

Posicionamento da Liesb

“A Liesb representa suas filiadas e sempre busca o melhor para o carnaval. As agremiações planejam seus carnavais contando com a verba municipal, independente de como será feito o repasse. O diálogo sempre é importante. Como notório conhecimento, a Liesb sempre primou pela eficiência dos espetáculos apresentados, conseguindo ano após ano realizar eventos que hoje além de serem parte do calendário cultural de nossa cidade, representam igualmente a historia e tradição de nossa gente. ​Tal sucesso possui muitas vertentes, mas a principal, sem sombra de duvidas, foi a já histórica autonomia concedida pelo poder publico para que as entidades carnavalescas realizassem os seus eventos. ​Mesmo sabendo da vedação a interferência estatal em associações, a LIESB em profundo respeito ao seu maior parceiro e incentivador, Riotur, sempre comunicou a vontade de seus filiados”.

Comentários