Compositores: Rafa Hecht, Djalma Ferreira, Pixulé, Rodrigo Porto, Nunes e Thiago Daniel

Vamos pisar forte nesse chão
Evocar nossa nação
Desce o morro, é tempo de lutar!
Sou eu, senhor da minha própria existência
Alma preta sem grilhões
Sentinela e voz da resistência
Sou eu, filho bastardo da alforria
Mãos libertas da agonia
Acorrentadas ao silêncio da história
Será a liberdade, sonho ou realidade?
Nessa pátria que não soube ser gentil
Carregado de axé, assentei meus Orixás
E no toque do tambor meu “Quilombo” incorporou!

Saravá, Jongo, saravá
Olha vamos na dança do Caxambu
Vou chamar Zé Tambozeiro
Pra firmar no meu terreiro
Capoeira mata um, Zum zum zum

Dendê e pimenta de cheiro
Atiça o tempero da mãe quituteira
Respeita, senhor, minha fé
Meu povo resiste, é nó na madeira
A arte o meu talento revelou
Nos palcos da vida consagrei a minha cor
Na pele o tom do samba, em poesia ancestral
Fui pioneiro, nessa terra fiz raiz

Eu sou Salgueiro, minha história é quem diz!

Ê ê, meu canto livre a ecoar é preto
Punho cerrado contra a opressão
Ninguém cala a voz que vem do gueto
O meu Salgueiro vai cumprir sua missão
(O meu Salgueiro vai cumprir sua missão)

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui