Compositores: Rico Teixeira, Luiz Mangará, Isaías Demócrito, Gerson Riosampa, Marcilio Moreno, Marquinho Duarte, J. Ailton e Wellington Morais

NO BATUQUE DO TAMBOR POVO GUERREIRO
CANTANDO A PRÓPRIA DOR PRO MUNDO INTEIRO
SACUDINDO MEU GANZÁ SOU RESISTÊNCIA
COM O MEU SALGUEIRO
LIBERDADE NOSSA VERDADE
OCULTARAM NA HISTÓRIA
MANCHADA NO TEMPO PELA HIPOCRISIA
VIVIDA ATÉ HOJE EM NOSSO DIA A DIA
ESSE MEU RIO QUE O CENÁRIO ECOOU
NA LEI ÁUREA UMA FALSA MAGIA
NO BRADO DO BASTA SE FEZ ALFORRIA
LIBERTA O INSTRUMENTO DA PODRE FIDALGUIA
NOSSO PAÍS AINDA É CASA GRANDE
NOSSOS TAMBORES TOCANDO DISTANTE
NA MISÉRIA GRITANTE DA NOSSA SENZALA
A IGUALDADE GRITOU ….LÁ NA FAVELA
PRESA NA FOME CRIOU ……O QUE SE ESPERA
AO POVO PRETO BASTOU TANTA QUERELA
COM PRECONCEITO QUE NOS NIVELA

NA FÉ DOS ORIXÁS
NOS SARAVÁS DA UMBANDA DO CANDOMBLÉ
BOTA DENDÊ NO MEU VATAPÁ
BOTA PIMENTA NO MEU HAUÇÁ
FAZ OFERENDA PRO MEU GONGÁ
TRÁS FANTASIA DE UM SONHO
EM SERMOS TODOS NOBRES DE NOVO
UM REI UM LÍDER DA TRIBO
DONOS DO PRÓPRIO NARIZ
TRAZENDO BRILHO NOS OLHOS
NUM MUNDO MUITO FELIZ
HONRADO E RESPEITADO
UM SER HUMANO NUNCA MAIS
ESCRAVIZADO

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui