Compositores: Tiãozinho do Salgueiro, César Reis, Gregório da Casa de Jorge, João Conga, Beto Bombeiro, Tio Júlio, Professor ACM e Yeda Maranhão

EU SOU O NEGRO “LIBERTO” DO CATIVEIRO
CATIVO ÀS AGRURAS NO RIO DE JANEIRO
SAGAZ, “PLANTEI MEU PARAÍSO” NA FAVELA
SOB O AÇOITE DISFARÇADO ROGO PAZ EM MEIO A GUERRA
ABANDONADO, NEGRINHO DESCALÇO,
JOGADO A SORTE NA ESTRADA DA VIDA
À “DOCE BALA” NO SINAL, AO AMARGO DA BALA “PERDIDA”
ÔÔÔÔ ÔÔÔ
DIREITO NEGADO, DESTINO TRAÇADO E MEU ALTAR É VIOLADO

FIRMA PONTO AÍ, SALVE OS ORIXÁS!!
CHAMA PRO XIRÊ, BOTA A SANTA NO GONGÁ
ENTREGO OFERENDAS PRA FORTALECER
“LIVRÁI-NOS DO MAL”, ME AJUDE A VENCER

LINDAS HISTÓRIAS DE LUTA DOS ANCESTRAIS… CHEGUEI CONTANDO
EU SINTO O CHEIRO DAS CAMÉLIAS DO LEBLON… SIGO SONHANDO
AINDA OUÇO OS TAMBORES DA CIATA
DA PRAÇA XI A ALEGRIA DO FESTEIRO
CHUTEI O RACISMO DA BOLA
NA CULTURA IMPRIMI MINHAS MEMÓRIAS.
MÃE BAIANA DE MÃO CHEIA DA RECEITA QUE FICOU
O TEU GIRO ME FASCINA, TUA REZA ME CUROU
NÃO ME CURVO NESSA LUTA, POIS MACULELÊ EU SOU!!!
CHAMO O POVO E FAÇO FESTA, PORQUE O RUM JÁ ECOOU

AUÊ..TINDOLELÊ!!!
TEU PRECONCEITO NÃO VAI ME VENCER

HOJE TEM CAXAMBU, SAMBA E FUNK NO TERREIRO
BATIDÃO DA RESISTÊNCIA
NO QUILOMBO DO SALGUEIRO

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui