Compositores: T’nem, Batista Coqueiral, Alexandre Xuxu, Luciano Godoi, Marquinho Mineiro, Betinho Pezão, Gilmar Monteiro, Tem-Tem Jr.

Indulgente liberdade, mascara a abolição
Resistir consolida a existência
Negritude em minh’alma é essência
Herança dos meus ancestrais,
Vermelho do sangue negro
Que luta contra opressão
É firmamento em meu amado torrão!
O brado da paz leva igualdade à minha bandeira
Punho cerrado, comunidade guerreira!

A favela é meu Quilombo… deixa a baiana girar
Cai a noite, vem o dia, é Xangô a nos guiar
O batuqueiro firma o coro e pede axé
Kabecilê! Povo de fé!

Na cozinha do saber, alimento o meu ser
Com oferendas aos meus orixás
Ao descortinar meu palco sonegado
A imaginação “partiu do alto”
Em meio ao choro e tanta repressão
Com criatividade e disfarçado
Escuto o som de preto e favelado
Salgueiro…
Desce o morro e vem mostrar o seu valor
Dar a cara a tapa sim senhor
Quebrar as muralhas desse cativeiro!

Sou Academia, toca partideiro
Sou a resistência, filho desse terreiro
Ecoa a voz do coração pro mundo inteiro
Salgueiro… Salgueiro!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui