Compositores: Viny Machado, Lucas Donato, Rony Sena, Rafinha, Gabriel Tadeu, Marcos Vinicius e Romeu

Não venha me enganar com seu discurso
Vou desmascarar o preconceito
Não quero ser melhor e nem pior
Cansei de sofrer, exijo respeito
Sou “livre”, mas ainda aprisionado
Semeio meu legado nesse chão
Sobrevivendo em Quilombos criados
Encontro a minha proteção
Na força ancestral do candomblé
Que alimenta a cultura brasileira
Mãe baiana, mãe da fé!
Derrama seu axé, na minha bandeira!

Salgueiro é religião!
Toca batuqueiro, firma ponto no congá!
Na ladeira tem capoeira!
Zum, zum, zum!
Zum, zum, zum… capoeira, camará!

Cabelo black é identidade
A rua se transforma em passarela
Talento e representatividade
Sou protagonista brilhando na tela
Eu só quero é ser feliz
Festejar a vida, as vezes sofrida
Firma na palma da mão
Tem funk no caldeirão
Charme é viver sem opressão
O sonho não será silenciado
A minha luta vai continuar
Sou preto, sim! De punho cerrado!
Por quem já se foi e por quem virá!

O que seria da minha vida sem você?
Salgueiro, Griot do samba!
Sou resistência, com licença, vou passar
Uma escola diferente
Deixa quem quiser falar!

Comentários