Compositores: Viny Machado, Lucas Donato, Rony Sena, Rafinha, Gabriel Tadeu, Marcos Vinicius e Romeu

Não venha me enganar com seu discurso
Vou desmascarar o preconceito
Não quero ser melhor e nem pior
Cansei de sofrer, exijo respeito
Sou “livre”, mas ainda aprisionado
Semeio meu legado nesse chão
Sobrevivendo em Quilombos criados
Encontro a minha proteção
Na força ancestral do candomblé
Que alimenta a cultura brasileira
Mãe baiana, mãe da fé!
Derrama seu axé, na minha bandeira!

Salgueiro é religião!
Toca batuqueiro, firma ponto no congá!
Na ladeira tem capoeira!
Zum, zum, zum!
Zum, zum, zum… capoeira, camará!

Cabelo black é identidade
A rua se transforma em passarela
Talento e representatividade
Sou protagonista brilhando na tela
Eu só quero é ser feliz
Festejar a vida, as vezes sofrida
Firma na palma da mão
Tem funk no caldeirão
Charme é viver sem opressão
O sonho não será silenciado
A minha luta vai continuar
Sou preto, sim! De punho cerrado!
Por quem já se foi e por quem virá!

O que seria da minha vida sem você?
Salgueiro, Griot do samba!
Sou resistência, com licença, vou passar
Uma escola diferente
Deixa quem quiser falar!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui