Caminhando para o terceiro carnaval como diretor musical da Tom Maior, Rafa Malva vem
consolidando um trabalho aliado com a modernidade, utilizando arranjos de cordas e
aberturas vocais em partes estratégicas. É importante ponderar que, um diretor musical é responsável exclusivamente por questões musicais dentro da respectiva agremiação, assumindo responsabilidades técnicas e de organização da ala. O cargo em questão decide presença ou não de aberturas vocais por parte dos intérpretes, desenhos melódicos e é a principal ponte de contato entre bateria e ala musical.

Analisando trabalhos anteriores, Rafa Malva tem postura moderna e ousada, principalmente, no que se refere ao cavaco. Ao CARNAVALESCO, o diretor da Tom Maior comenta que arranjos para o desfile tem inspiração no enredo e mantém segredo sobre novidades.

“Já tenho bastantes coisas na mente, a ideia agora é passar o samba. Ainda estamos no
processo de divisão com os cantores, passado isso formamos as ideias de cordas e depois
juntamos com a ala musical. Eu não vou poder falar muito porque tem a surpresa. A galera está gostando dos arranjos dos últimos anos, e a ideia é deixar bem negritude, e é o que o samba pede”.

O enredo da Tom Maior é uma grande homenagem ao povo negro, que aborda a cultua afro
até chegar nos dias atuais do Brasil. Rafa destaca pontos positivos do samba, revela largada fora do padrão e afirma que hino é um dos melhores do estado.

“O samba está muito dentro do enredo. Ele é muito funcional, principalmente, para gente que desfila como segunda escola. Tem uma melodia maravilhosa. Vamos fazer uma coisa inédita nesse ano, e começaremos o samba pelo refrão do meio, que é o marco do samba. Parabenizo os compositores por esse samba maravilhoso, e na minha opinião, sem média com ninguém, está no top 3 do carnaval”.

Pra quem acompanha as atividades da Tom Maior, puderam notar a presença de uma voz
feminina junto à equipe do carro de som. Além da contribuição para a ala, a cantora também faz o alusivo para o samba de 2020. Rafa Malva apresenta e destaca trabalho diferenciado.

“É a Mayara, ela é uma maravilhosa cantora. Na realidade, ela já grava corais, e já tinha
observado. Conversei com ela, passei pra diretoria e hoje ela está fechada com a gente. Como no início do samba tem um toque feminino, coloquei no CD e ela vem fazendo na avenida também. A Mayara vem na avenida dividindo com o Bruno, fazendo terças, as oitavas, tudo aquilo que uma mulher, cantora de verdade sabe fazer. Ela é uma cantora de verdade, guardem esse nome aí”.

Comentários