São Jorge é o santo mais popular da capital fluminense. Se formos considerar a devoção no mundo do samba a crença é quase uma unanimidade. Não são raros os sambistas que tem tatuagens do santo e escolas de samba apadrinhadas por ele. O site CARNAVALESCO conversou com alguns sambistas devotos do Santo Guerreiro.

O mestre de bateria Thiago Diogo afirma que não cultua o santo apenas por sua popularidade. Segundo o músico, a relação de fé entre sua família e o santo passa de geração a geração e que uma imagem de São Jorge está marcada para sempre em sua pele através de uma tatuagem.

“São Jorge é o santo de devoção da minha família inteira. Lá em casa todos nascem sabendo ter devoção ao santo e dia 23 é dia de todos comparecerem à vigília. Carrego o santo no meu corpo e a nossa adoração ao guerreiro é uma coisa muito séria para toda a minha família”, afirma.

O intérprete Igor Vianna é adepto da Umbanda, cantada por ele na Alegria da Zona Sul no desfile deste ano. Na religião de matriz africana o santo guerreiro é sincretizado na figura do orixá Ogum. O cantor sempre que alcança alguma graça agradece aos dois.

“Dia de São Jorge eu normalmente vou à alvorada, tem alguns anos que não consigo ir. Mas quando não vou eu acordo no horário, acendo uma vela, peço proteção. Tenho o santo tatuado nas minhas costas, casei na igreja e espero batizar meus filhos lá. Estou sempre louvando a ele e a Ogum pelos caminhos que sempre me abriram”, agradece.

Selminha Sorriso carrega São Jorge no coração e na alma. A porta-bandeira da Beija-Flor revela ao site CARNAVALESCO que leva o pavilhão todo dia 23 na vigília e levou seu filho para conhecer o santo quando de seu nascimento. Ela mantém relação de amizade próxima com os padres da paróquia de São Jorge em Quintino.

“Há muitos anos tenho devoção a São Jorge. Todo 23 de abril levo meu pavilhão à paróquia em Quintino. Próximo do carnaval eu faço o mesmo ritual. Quando meu filho nasceu eu apresentei o meu filho para o santo. Sou uma devota muito apaixonada e que realmente crê nos milagres desse santo. Participo da missa das 10h da manhã no dia 23 de abril. É um dia muito especial. Acho muito justo que seja feriado pois existe muita devoção no Rio de Janeiro. Tenho muita fé no santo guerreiro. Padroeiro da Beija-Flor, te uma escultura linda na quadra desde 2003. Sempre reverenciamos essa imagem ao dançar. Pedindo permissão e bênção”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui