O carnaval de São Paulo vem a cada ano se reestruturando e conquistando mais visibilidade no cenário nacional. Assim como a organização, as escolas de samba do estado não ficam pra trás e investem mais a cada no projeto apresentado nos dias de desfiles. Mas, afinal, você conhece o palco do espetáculo paulistano? Sabe a história? Conhece a estrutura? Como as escolas de samba se organizam pra entrar na pista? O site CARNAVALESCO explica detalhes para que entenda tudo do local.

O sambódromo do Anhembi foi inaugurado em 1991, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, que também assinou a construção da Marquês de Sapucaí. Antes da inauguração, os desfiles aconteciam na Avenida Tiradentes. Sobre a estrutura, a área contém dez torres de jurados e dez setores de arquibancadas identificadas por letras, no caso do A até o J. O local comporta 30 mil pessoas e a pista tem 530 metros de comprimento por 14 metros de largura. Shows, eventos, festas, feiras, entre outras atividades com alto número de público também são realizados no sambódromo.

Para que não haja confusão, o Anhembi é um complexo cultural-comercial, ou seja, ele não abriga somente o sambódromo. O espaço conta também com o palácio de convenções e o pavilhão de exposições.

O palácio de convenções contém diversos auditórios, halls, salões de festas, cozinha industrial, lago, terraço, espaço modular, camarins. O ambiente pode abrigar eventos como: Palestras, Festas, Congressos, Convenções, Formaturas. Ele possui 36 mil m².
Já o pavilhão de exposições tem 76,2 mil m², muito procurado para grandes feiras. Durante os dias de desfile o local é reservado para estacionamento.

Concentração

Antes de explicar cada setor, é importante explicar a concentração, área que antecede a pista principal e que também é conhecida como “Arena Anhembi”. Nos ensaios técnicos, a região é reservada para a organização das escolas com as alas, afinação da bateria e um pequeno espaço para alimentação. Nos dias de desfiles, todo o ambiente é reservado exclusivamente para as alegorias das agremiações mais próximas a apresentar seu carnaval. Algumas escolas aproveitam também pra finalizar as alegorias, detalhes, acabamentos, etc.

Nos dias em questão, a concentração dos componentes e bateria é feita ao lado do Pavilhão de Exposições. Até chegar ao palco principal, cada folião deve andar pouco mais de 600 metros. O trajeto é feito por dentro do Anhembi.

Sambódromo do Anhembi

Palco principal dos desfiles das escolas de samba, o sambódromo tem muitos detalhes que passam despercebidos. Além da pista, já detalhada no começo do texto, existem tem 10 arquibancadas. A maior dela é a do setor B, conhecida popularmente como “Monumental”. Por não haver nenhuma torre de jurados perto, as escolas usam esse espaço pra apresentar diferentes surpresas. A bateria solta mais paradinhas, o casal apresenta uma coreografia diferenciada, e isso se estende por toda escola.

Já as torres de jurados são divididas de forma igual, como são dez ao todo, cinco ficam em cada parte. A separação dos quesitos é dessa forma:

Torre 1: cronometrista e locutor.
Torre 2: enredo, alegoria, bateria, samba enredo e harmonia.
Torre 3: casal, evolução, fantasia e comissão de frente.
Torre 4: comissão de frente, evolução, alegoria, casal e fantasia.
Torre 5: bateria, samba enredo, enredo e harmonia.
Torre 6: evolução, comissão de frente, bateria, harmonia e samba enredo.
Torre 7: enredo, alegoria, fantasia e casal.
Torre 8: enredo, casal e fantasia.
Torre 9: alegoria, samba enredo, bateria e harmonia.
Torre 10: comissão de frente, evolução e Cronometrista II.

A pista conta com grades nas laterais para separar os componentes de qualquer influência externa, como seguranças e imprensa. O corredor também é aproveitado por integrantes da harmonia e dirigentes, que conseguem andar por toda escola sem atravessar as alas. Os espaços da mesma altura da pista são reservados para deficientes e camarotes.

Dispersão

Também conhecido como “Nova Arena”, a localidade é o final do desfile. Pelo tamanho, nos dias de ensaios técnicos o local também serve como estacionamento. Já em dia de desfiles, as alegorias do dia seguinte são guardadas ali. Ou seja, as escolas que desfilam no sábado de carnaval só vão para a concentração depois que os desfiles de sexta acontecem.

É importante pontuar também que, o terreno ao lado da Rua Olavo Fontoura também serve para abrigar os carros alegóricos. Resumindo, antes do primeiro dia de desfile, as alegorias das escolas de sexta ficam na concentração, as de sábado na dispersão e as do acesso no terreno ao lado. Conforme os dias de desfiles passam, a ordem muda.

Comentários