Desfilando em diversas escolas de samba por ano, Samile Cunha acumula vários figurinos no carnaval, que são registrados com riqueza de detalhes. Neste ano, a destaque desfila na segunda alegoria do Paraíso do Tuiuti, com a fantasia “A Justiça de Xangô”.

O segundo carro da escola, chamado “O Dragão do Mar: Kawòó Kabiyèsi, Francisco José do Nascimento!”, homenageia o líder jangadeiro, que foi um abolicionista conhecido como Chico da Matilde. Chamado de Dragão do Mar por sua bravura, ele conduzia sua jangada pelo mar para alertar e impedir o tráfico negreiro. Na alegoria, Francisco navega em um mar de fogo, fazendo referência a Xangô, orixá seguido por aqueles que têm senso de justiça e que lutam por ela.

Em entrevista, Samile fala sobre a responsabilidade de representar como Xangô na avenida, mesmo não sendo filha de Santo do orixá, ela conta que é um prazer vestir essa fantasia e que foi um presente de Paulo Barros.

“É um tributo a Xangô, a gente representa o fogo e a justiça. Vir representando Xangô é uma energia muito forte, ao mesmo tempo que tem a responsabilidade pelo carnaval e pela escola, eu to veiculando uma energia que é do axé, que é candomblé, eu não sou filha de Xangô, mas tenho o maior prazer de estar trajando essa roupa, Paulo Barros me olhou e me deu esse figurino”, destacou Samile.

Comentários