Por Lucas Santos

A Santa Cruz seguindo a tendência de outras escolas da Série A apresentou neste sábado seu samba encomendado em festa na quadra. Os compositores Samir Trindade, Júnior Fionda, Elson Ramires e Rildo Seixas assinam o hino da Verde e Branca da Zona Oeste pelo segundo ano consecutivo. A festa foi aberta com uma feijoada e teve a participação da Unidos de Padre Miguel.

O diretor de carnaval da escola, Ricardo Simpatia, contou que a escolha por repetir o formato do ano passado para definição do samba-enredo partiu do presidente que se sentia em dívida com os compositores.

“Em relação ao samba enredo foi uma decisão da presidência, após o sucesso do samba do ano passado, ele (presidente Zezo) deu aos compositores como uma forma de gratidão e também como um outro voto de confiança aos nossos compositores”.

Simpatia também falou dos preparativos da Santa Cruz para o Carnaval 2020.

“A Santa Cruz tradicionalmente é uma escola que desfila de forma grandiosa, certeza que vem acima dos dois mil componentes. Agora, temos que conversar com o carnavalesco para vermos os carros alegóricos e os segmentos para montarmos o nosso efetivo de alas e tudo mais”.

O presidente Moysés Antônio Coutinho Filho, o Zezo, explicou à reportagem do CARNAVALESCO que no ano passado a escola tinha pedido a Martinho da Vila para compor o samba-enredo. Mas, devido a problemas de última hora, o cantor e baluarte da Vila Isabel não pode produzir a obra fazendo com que o presidente Zezo deixasse a tarefa a cargo do time de Samir Trindade com um tempo muito curto para executá-la.

“Seria injusto da minha parte depois do Samir ter feito o samba da Ruth de Souza com três dias, não dar esse voto de confiança a ele e todos os outros compositores após terem nos dado um samba tão premiado. Foi o samba mais premiado do carnaval. Acredito que eles fizeram um samba do mesmo porte do ano passado, alegre, a comunidade canta e entende o que se está cantando. Tenho certeza que vamos ganhar os mesmo prêmios que nós ganhamos no ano passado. Mas não será tendência para os outros anos não. Eu até falei para o Samir e para os outros que eu tinha obrigação moral pelo o que eles fizeram ano passado, mas o meu compromisso para por aqui. Pode ser que ano que vem eu faça de novo, mas não fica como uma regra”.

O presidente Zezo também aproveitou para esclarecer a situação do barracão da escola e sobre possíveis patrocínios da cidade de Cariri, no Ceará, homenageada no enredo.

“O barracão está bem melhor, nós entregamos aquele que perdemos na Justiça. A empresa me deu todo material para eu montar outro barracão e eu deixei de ‘stand by’, pois a Porto da Pedra me cedeu o barracão dela também. O próprio governador também interviu, tínhamos 15 dias para sair e conseguimos mais alguns meses para resolver e estamos negociando. Em relação ao enredo, não terá grandes aportes financeiros, hoje acabou isso de o cara pegar um milhão, R$ 500 mil. Mas vamos ter uma ajuda de custos, os empresários locais da cidade vão ajudar um pouco para que nós possamos fazer o carnaval”.

A encomenda de samba parece ter sido bem aceita em outros setores da escola. Para o intérprete Roninho, a escola recebeu um grande presente dos compositores tanto no samba de 2019 quanto no samba de 2020.

“Graças a Deus, nós tivemos sorte de ser agraciados com dois grandes sambas. E a escola vai vir forte. E os compositores tiveram extrema felicidade e nos deram um lindo presente”.

Roninho também a orientação na Série A em que o carro de som e os cantores são avaliados dentro do quesito harmonia.

“Isso é bom. Verdadeiramente vai valer a qualidade de cada cantor. Que aí a gente estuda, se liga e corre atrás. Senão, o cara acaba descansando. Assim ele tem que estar sempre bem”.

Antes da apresentação oficial do samba para 2020, a escola também coroou Lohane Melo como nova rainha da torcida “Apaixonados pela Santa Cruz”.

Bateria trará zabumba e bossas focadas em ritmos típicos do Cariri

A bateria da Santa Cruz vai vir com muitas surpresas para 2020 é o que garante pelo menos o mestre Riquinho, que vai comandar os ritmistas da Verde e Branca da Zona Oeste pelo sexto ano consecutivo em 2020. O comandante também aproveitou para falar sobre a sua avaliação do carnaval passado.

“O ano de 2019 foi muito bom mas a gente sempre tem que acrescentar alguma coisa, pois nunca está 100%. Mas nós progredimos e esse ano vamos ser melhor ainda. Vou levar 250 ritmistas no máximo. Sobre a fantasia para a bateria ainda vou conversar com o Cahê (Rodrigues, carnavalesco) esta semana, mas eu já posso adiantar que em relação as supresas da bateria, que viremos com as bossas dentro da cultura de Cariri, usando zabumba com certeza na bateria”.

Casal promete surpresa na roupa para 2020 e fala de aprendizado com a chuva

Dançando juntos de novo, Mosquito e Roberta Freitas tiveram que enfrentar a forte chuva que caiu sobre a Sapucaí no desfile deste ano. Com três notas 10 e um 9,9 (descartado na apuração), o casal usou o termo superação para resumir a apresentação de 2019 e inspirar as que estão por vir.

“Acho que podemos resumir 2019 como um ano de superação por conta da chuva. A gente já vai para o quarto carnaval juntos e nunca tinha pegado tanta chuva como a desse ano. Dificultou muito porque muda toda a condição que a gente já tinha ensaiado. Mas, graças a Deus a gente conseguiu aqueles 30 pontos que a escola precisava. A nossa perspectiva para 2020 é melhorar, a nossa preparação já se iniciou e se intensifica agora que a gente já tem o samba divulgado. Estamos focando nos 40 pontos”, conta Roberta.

“Eu acho que não tem necessidade de mudar nada não. A superação em 2019 foi o ápice da nossa dança. E a gente prefere tradicional. A gente gosta do feijão com arroz bem feito”, explica Mosquito ao ser perguntado sobre o que pode ser diferente em 2020.

Em relação a fantasia tão esperada para 2020, o casal admitiu que já viu o protótipo. Roberta afirmou que será algo único na Santa Cruz e aproveitou para elogiar a sincronia com carnavalesco Cahê Rodrigues, que não pode participar da festa por conta de outros compromissos.

“A nossa roupa é diferente de tudo que a gente já vestiu na Santa Cruz. Foi um surpresa muito grande pra gente. Essa parceria com o Cahê está sendo perfeita. Ele sempre respeita o nosso gosto, as nossas opiniões”.

Em 2020, a Acadêmicos de Santa Cruz vai ser a quarta escola a desfilar na Sapucaí no sábado de carnaval.

Comentários