Enquanto o carnaval não vem, Selminha Sorriso tem brilhado em outras frentes. A porta-bandeira da Beija-Flor já estreou como apresentadora em lives solidárias, e, agora parte para mais um desafio: interpretar Xica da Silva no cinema. Selminha faz parte do elenco de “Zumbi Quilombo dos Palmares”, de Lula de Oliveira, que tem estreia prevista para o segundo semestre deste ano. Por conta da pandemia da Covid-19, as gravações do longa foram suspensas, mas com a flexibilização, no Rio de Janeiro, as filmagens devem ser retomadas em breve, seguindo todos os protocolos de segurança estipulados pelos órgãos de saúde. Em entrevista ao site CARNAVALESCO, a artista falou sobre a felicidade e a responsabilidade de interpretar a escrava alforriada em 1754.

“A atriz Daniella Dias me convidou para participar da sua live, no Instagram, e conforme a nossa conversa fluiu, ela viu que eu poderia fazer o papel facilmente e me indicou ao diretor Lula de Oliveira. Ele fez uma entrevista comigo e fui aprovada”, relembra a porta-bandeira que encara o novo trabalho como mais um desafio em sua vida, sobretudo, em poder desenvolver um papel feito por grandes nomes da televisão brasileira.

“Tivemos grandes atrizes encarnando essa personagem como Zezé Motta e Taís Araújo, isso é algo mágico poder trazer para o telespectador essa nova releitura e eu dando vida a Xica da Silva, e para isso estou me preparando há mais de um mês com encontros e ensaios junto da direção. Mas todo esse trabalho só vem para reafirmar a representatividade do povo negro e a voz das escolas de samba sobre esse assunto”, disse Selminha Sorriso.

Ao todo, seis narrativas – desde a época do Brasil Colônia até o início do século XXI -, contam a história do lendário Zumbi dos Palmares, famoso abolicionista que comandou o Quilombo dos Palmares e lutou pelo fim da escravatura. Uma das histórias que cerca o então líder é a de Xica da Silva, interpretada pela porta-bandeira da Beija-Flor. O elenco conta ainda com Mário Gomes, André Gonçalves, Paulão Duplex, Danielle Dias, entre outros autores. O documentário tem concepção e direção de Lula de Oliveira e mistura realidade e ficção para contar histórias do negro no processo de formação cívica do Brasil até os dias de hoje.

“Iremos mostrar o negro vencedor, o negro que sempre passou por humilhação e vergonhas, mas que essas situações fizeram eles serem vistos como vitoriosos. Mas, o mais importante é retratar a religião humana, extraída da alma entre um ser humano ao outro com suas ações de proximidade e compaixão”, conclui o diretor.

Além de Selminha Sorriso, outro grande ícone da Beija-Flor estará presente no filme, Silvestre David da Silva, o Cabana, um dos fundadores da agremiação de Nilópolis, terá sua história narrada no filme como um dos vitoriosos do século. O filme conta com apoio do Governo do Estado de Alagoas e da Beija-Flor de Nilópolis. As filmagens foram feitas no Rio, União dos Palmares e Atalaia, em Alagoas. O lançamento será feito em 18 estados, de forma simultânea, com exibição no Cine Odeon, no Rio e, logo em seguida passando para as plataformas de streaming.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui