A previsão da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) é que aconteçam apenas o teste de som e luz do Sambódromo, no dia 20 de fevereiro, com a Viradouro, atual campeã do Grupo Especial. Segundo o presidente Jorge Perlingeiro, a Marquês de Sapucaí passa por obras, inclusive, de recapeamento da pista, e a previsão da entrega é para o fim do mês. Fora isso, o controle sanitário do público é difícil, já que não existem catracas para entrada nas arquibancadas e frisas, pois o evento é totalmente gratuito.

Foto: Magaiver Fernandes

“Os ensaios técnicos não foram cancelados. Você não cancela aquilo que não existe. Não estava divulgado ainda. Nada estava programado, porque o Sambódromo está em obras. A previsão é que a obra termine de 22 a 25 de janeiro. Terminado também vai depender o andamento da pandemia. Uma coisa é ter catraca com ingresso e controle. Como controlar o ensaio que é gratuito? Certo está o teste de som e luz com a Viradouro. Dessa vez, a gente efetivamente vai testar a luz da Avenida. Se a pandemia piorar, tiver algum impedimento, podemos fazer até com os portões fechados, mas acreditamos que será com público. Lembrando que não temos catracas nos ensaios técnicos”, afirmou Perlingeiro.

Comentários