Dias antes da Unidos da Tijuca entrar na avenida em 2004 havia uma preocupação grande com uma alegoria supostamente ainda no ferro dentro do barracão. Em estrutura piramidal causava pavor em que a via na fábrica de alegorias da escola. Na concentração instantes antes do desfile ela intrigava e causava pânico nos desfilantes: com aquela estrutura a escola cairia? O que se viu na avenida foi uma alegoria histórica, inaugurando a era Paulo Barros de carros humanos.

Se passaram 16 anos, Paulo conquistou quatro títulos, três deles na Tijuca e agora de volta à escola onde teve seu nome projeto recebeu a equipe do CARNAVALESCO para falar sobre o enredo ‘Onde moram os sonhos’. A temática pretende falar da arquitetura e urbanismo. Paulo fala mais uma vez que é preciso aguardar o desenrolar de seu projeto na avenida e que a estética deste ano contempla cinco DNAs em termos de conceitos alegóricos.

“Eu posso dizer que é um ano de dificuldade financeira, e todos nós sabemos. Esperamos que esse quadro seja revertido para o ano que vem. Estamos fazendo um projeto dentro da realidade e para que dois, três dias antes estejamos aptos a desfilar. Se você olhar para o barracão da Tijuca você verá cinco ‘DNAs’. O DNA foi um carro que as pessoas olhavam para o barracão e diziam que não ia ficar pronto e já estava pronto. Dizem que o barracão da Tijuca está atrasado. Para mim está pronto”, avisa.

Paulo Barros conta com o apoio de Marcos Paulo e Hélcio Paim para o desenvolvimento do projeto. Marcos falou da ideia inicial do enredo e do desenvolvimento das pesquisas.

“A ideia é da escola, de nosso departamento de marketing. A partir daí começamos a desenvolver o tema. Quando ouvimos que seria esse tema, o primeiro que veio à cabeça seria uma estética dura. Mas em cima das pesquisas a gente foi percebendo que daria carnaval. As grandes construções. Costumamos dizer que contamos a história da humanidade pelo olhar da arquitetura. O Paulo optou por um lado mais solto, alegre, os estilos arquitetônicos”, explicou.

Paulo Barros complementou a explanação de Marcos definindo o projeto como uma grande peça de design. O artista complementa avaliando que se trata de uma grande observação do passado para chegar nos dias de hoje.

“A palavra que resume esse projeto é design. Por que arquitetura é design puro. O samba diz ‘curva-se o concreto’. Uma referência aos trabalhos de Niemeyer. Apaixonei-me tanto por essa frase que estou produzindo um carro da catedral de Brasília. “Esse enredo faz uma passagem na antiguidade. A história da arquitetura começa nesse momento. Minha carreira como carnavalesco começou observando o passado. Fernando Pinto, João 30, Rosa Magalhães, Renato Lage. Mas o foco do enredo é a cidade do Rio, a beleza. Falaremos de causas que o homem deixou de lado, preocupado sempre em criar sem pensar nas consequências. Têm aquecimento global, lixo, reciclagem. Hoje um projeto arquitetônico tem essas preocupações, para não agredir o meio-ambiente. Por isso aqui será a capital mundial da arquitetura. Aqui temos uma floresta dentro do espaço urbano. Praias, montanhas. Obviamente terminamos cantando um lugar melhor para se viver, fazendo um link com a favela, um local que sofre por conta do abandono”, explica Paulo.

Entenda o Desfile

A Unidos da Tijuca apresentará seu carnaval através de 28 alas, cinco alegorias e nove elementos alegóricos, que não são tripés, pois para o regulamento um tripé precisa ter até no máximo três pessoas sobre ele para ser assim considerado. Marcos Paulo explica os setores do desfile para o site CARNAVALESCO.

Setor 1 – Fala da arquitetura patrimônio da humanidade, que carrega em suas paredes a história e os traços culturais dos seres-humanos.

Setor 2 – Os estilos arquitetônicos brasileiros. Índios, Brasil Colônia, Império e República. Terminamos com art-nouveau.

Setor 3 – As causas e efeitos das ocupações desordenadas e o que ele está causando. Os assoreamentos, deslizamentos, alagamentos.

Setor 4 – Trazemos soluções. O que arquitetos e urbanistas pensam para a humanidade. Modelos de cidades ideais com espaços de convivência perfeitos. A reciclagem. Estamos criando uma favela perfeita.

Comentários