Dando sequência as visitas aos ensaios das escolas de samba do Grupo Especial do carnaval de São Paulo, o site CARNAVALESCO visitou o ensaio da Colorado do Brás. É importante lembrar que, a sede da agremiação não comporta a estrutura de um ensaio, por isso, os componentes se reúnem em frente, duas ruas são fechadas para o treino. No último domingo, a agremiação realizou seu último ensaio do ano de 2019, um dos mais cheios da fase preparatória até o momento.

Samba-enredo

A estrutura do samba da Colorado do Brás carrega uma forte característica de explosão, exigindo empolgação dos componentes em praticamente todo o trecho. O tom alto cantado influencia diretamente na proposta. O refrão de cabeça vem na contramão do melisma, com poucas extensões das sílabas tônica e melodia clássica, diferente do segundo refrão, que utiliza uma linha mais moderna. Comparado ao enredo, o hino é explicativo e influencia diretamente na leitura imediata do desfile.

O intérprete Chitão Martins comentou sobre a rotina de ensaios e quantidade de músicos presentes na ala para o desfile de 2020.

“Além dos ensaios gerais, também fazemos os individuais da ala. O de domingo, como é um ensaio com todas as alas, a gente não tem o tempo pra parar, dar uma acertada, ver aonde a gente pode melhorar, e nos ensaios individuais a gente pode fazer isso. Temos o tempo pra para cada um expor a sua ideia, enriquecer o samba. Além dos ensaios em estúdios, que são super importantes, gravamos voz por voz, identificamos aonde cada voz tem dificuldades e assim extrair o melhor do cantor. Nossa ala musical é composta por seis apoios, comigo somos em sete. Nas cordas somos em quatro, dois cavacos, um violão de seis cordas e um de sete cordas, são onze músicos”.

Bateria

A bateria Ritmo Responsa, assim como a escola, também apresentou um bom contingente durante o ensaio. Posicionada ao lado esquerdo do palco, a batucada aproveitou o momento para firmar a sustentação do ritmo e treinar as execuções das bossas. Pode-se notar a execução de quatro bossas diferenciadas e com tempo de duração considerável, todas acima de dezesseis compassos. Um ponto de destaque é a harmonização dos desenhos dos instrumentos leves, como; agogô, tamborim e chocalho, que conversam em partes estratégicas, proporcionando entrosamento. Além dos ensaios semanais de domingo, o quesito ainda se reúne toda terça-feira para limpar arranjos, bossas e trabalhar resistência.

Comissão de frente

A comissão de frente da Colorado do Brás ensaiou com quase o que se considera o limite, dividido entre homens e mulheres. A coreografia trabalhava detalhes de gestos e coreografias com muitos detalhes, porém ainda sem ter a certeza se o que foi apresentado era oficial ou não. Mesmo assim, o coreógrafo Kelson Barros pedia atenção aos coreógrafos e sinalizava os momentos em que podiam andar.

Harmonia

Durante o ensaio visitado, a bateria e ala musical parou duas vezes para que os diretores de harmonia focassem no desempenho vocal de toda a escola, sem alterar a estrutura e organização. Nesses trechos a falta de intimidade de alguns componentes ficou mais visível, situação entendida pelo tempo de distância para o desfile. Mas isso não fez com que os integrantes da direção de harmonia parassem de pedir animação aos desfilantes, que corresponderam, principalmente nos dois refrões e no final da segunda estrofe. Um dos diretores de Harmonia da agremiação, Diego Zulão, explicou como o ensaio é montado e revelou frequência dos componentes.

“Nosso tempo de ensaio dura uma média de 1 hora de canto direto. Esse segundo semestre foi atípico, uma média de 200 pessoas compareceram aos ensaios. Mas agora com a virada de ano, os componentes voltam a frequentar em maior número. Sobre as separações das alas, cada Harmonia já tem a sua função. Eles vão separando de acordo com a pré-montagem, que já temos do dia do desfile. Assim, os componentes vão se acostumando com sua posição de desfile”.

Evolução

As alas ocupam uma grande parte da rua Quixelos, localizada logo ao lado da sede. Mesmo com toda adversidade presente em ensaiar na rua, a escola consegue aproveitar os espaços, separar as alas de forma que não fique desconfortável, mas sem espaçar. Confortável pra quem participa e compacto pra quem assiste. Os integrantes da alegoria foram os mais animados, os que mais cantaram, literalmente curtiram o último ensaio do ano de 2019. As alas são separadas conforme o desfile do respectivo carnaval, dando voltas, formando um oval bem estendido. Durante o esquenta, onde foi cantado hino, três sambas antigos e músicas pra animar os integrantes, a separação das alas se manteve de frente ao palco principal.

Um dos destaques do ensaio foi a presença da ala Giga, que reúnem componentes acrobatas, sem economizar nas coreografias e movimentos no ar. Zulão revelou que, apesar da distância, integrantes da escola acompanha cada ensaio.

“A ala é um projeto social, onde eles têm alguns espaços em Guarulhos. A frequência deles nos nossos ensaios dependem de algumas situações, relacionadas a transportes. Porém, acompanhamos os ensaios nos espaços deles”.

Casal

Ruhannan e Ana Paula carregam anos de parceria, fator bem visível ao analisar a dança do casal oficial da agremiação. Independente do local, quadra, apresentação ou ensaio técnico, a simpatia ao ostentar o pavilhão não é afetada, assim como foi no ensaio visitado. Ambos carregam uma coreografia que alia o modernismo com a dança clássica do quesito. Mantendo o nível do último ensaio, e firmando cada vez mais a frequência dos  componentes, a maior vantagem dos últimos anos da escola pode ser mantida, que no caso é a força do chão.

O samba influencia na explosão, e correspondida pela escola, pode proporcionar resultados superiores ao do ano passado. Além da mudança nos dirigentes de harmonia, a Colorado manteve praticamente o mesmo time dos últimos anos. Antes do ensaio para o carnaval de 2020, o presidente Ka agradeceu a presença dos seus componentes, reafirmou alto investimento e garantiu escola mais competitiva.

A Colorado do Brás será a segunda escola de samba a desfilar na noite de sábado, dia 22 de Fevereiro, com o enredo: “Que Rei Sou Eu?”, assinado pelo carnavalesco Leonardo Catta Preta.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui