O jovem carnavalesco Rodrigo Marques, de 29 anos, que voltará a defender a Unidos da Ponte no Carnaval 2021, ao lado do amigo Guilherme Diniz, teve alta nesta segunda-feira, após passar 15 dias internado, sendo 7 dias no CTI (Centro de Tratamento Intensivo), no Hospital Regional Zilda Arns, em Volta Redonda, em tratamento da Covid-19.

Ao site CARNAVALESCO, Rodrigo Marques explicou como apareceu a Covid-19 dentro da sua casa e a preocupação que teve com a filha ainda bebê.

“Minha esposa é enfermeira. Ela foi colocada no setor que trata de Covid-19 e uma pessoa da equipe acabou pegando. Ela fez o teste de precaução e deu positivo. Foi um baque para gente, porque temos uma filha de 1 ano e dois meses. Minha esposa só teve algo como uma gripe. Eu tentei forçar, falando que não seria nada, sentia sintomas, mas conseguia aguentar. Foram sete dias assim. Comecei a sentir sintomas mais fortes quando chegou aos 14 dias. Minha família começou a ficar preocupada e como meu pai mora na região Sul-Fluminense, em Itatiaia, me chamou para casa dele”.

O artista da Unidos da Ponte citou que a partir do dia 20 de abril seu quadro clínico teve uma piora.

“Meu pai me levou no hospital de emergência em Resende, passei um dia lá e automaticamente me colocaram no CTI. Fui transferido no dia 22 de abril para o Hospital Regional Zilda Arns, que é referência no tratamento da Covid-19, inclusive, tem muito carioca lá, porque o Rio está sem vagas. Direto fiquei sete dias no CTI em estado grave, apesar de não ter nada para me colocar em situação de risco. Vi muita gente morrendo no CTI. Colocaram um cateter para melhorar minha saturação, mas em nenhum momento fui entubado, estava sempre acordado. Após esse período fui para enfermaria, o que foi um alívio muito grande, lá tomei os antibióticos, e fiquei aguardando a recuperação e tive alta nesta segunda-feira”.

Carnavalesco diz que período de quarentena é fundamental contra a Covid

Na entrevista para o site CARNAVALESCO, Rodrigo Marques comentou que ainda tem algumas dificuldades, em virtude do novo Coronavírus, mas que já superou diversas adversidades do período mais forte da doença.

“Me sinto melhor, ainda não estou 100% recuperado, porque estava com Covid-19, mas não estou mais cansado quando estou falando, ainda sinto dificuldade na mobilidade, mas isso vou recuperar com o tempo”.

Veja o momento que Rodrigo Marques deixa o hospital:

O Rio de Janeiro está em quarentena desde o dia 16 de março. Em novo balanço do Ministério da Saúde, na tarde desta segunda-feira, o número de mortes chegou a 1.065 e agora são 11.721 casos de contágio confirmados.

O carnavalesco da Unidos da Ponte afirmou que é necessário que as pessoas acreditam na força do vírus e que é fundamental aumentar o máximo possível a segurança na prevenção.

“É uma doença que não tem alvo. É invisível. Você não sabe quando e onde ela vai te atacar. Ela está na casa do mais pobre e do mais rico. As pessoas tem que viver a quarentena com mais seriedade, evitar sair de casa e utilizar todos os instrumentos de proteção. Sei que temos muitas pessoas precisam trabalhar, mas essa galera tem que ampliar os cuidados em 500%. Se analisar minha idade e meu estado de saúde não era para passar por isso. Agora, você imagina se fosse uma pessoa com diabetes ou outra comorbidade. É preciso triplicar a segurança com máscara e álcool em gel”.

A dupla Guilherme Diniz e Rodrigo Marques assumiu o carnaval do Sossego, na Série A, faltando 19 dias para o desfile de 2020. Para 2021, eles vão apresentar o enredo a ‘Santa Dulce dos Pobres – O Anjo Bom da Bahia’.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui