Com a organização eficiente característica de mestre Macaco Branco, a Vila Isabel realizou seu processo de gravação para o CD de sambas-enredo do Grupo Especial de 2020. Após estabelecer um modelo de concurso mais econômico, sem disputas abertas na quadra, a escola gravou a faixa para o álbum da Liesa com uma estratégia já pré montada a partir de uma gravação particular da obra que serviu de base para o trabalho do áudio oficial.

Mestre Macaco Branco explicou que o áudio anterior serviu para que pudesse criar bossas para a produção do CD.

“Foi um processo novo de escola de samba, nosso presidente optou por fazer uma disputa no CD, mas com uma audição fechada com alguns ritmistas da bateria para sentir na quadra ao vivo. A diretoria da escola escolheu um excelente samba. A gente já havia feito uma gravação para a escola. Ficamos trabalhando tudo em cima dessa gravação e eu fiquei trabalhando as bossas em cima dessa gravação. A bateria tem que tocar para o samba e valorizar o que ele pede. Esse samba tem várias passagens bonitas e estamos podendo aproveitar isso tudo em busca da nota máxima no carnaval”.

O diretor de carnaval Wilsinho Alves afirmou que o modelo de disputa também serviu de ajuda para que a Vila Isabel pudesse se programar melhor para a gravação.

“Facilitou pelo fato de a gente ter esse tempo de preparar a escola, a gente já gravou uma versão do samba em estúdio. Isso ajuda para o Tinga pegar mais o samba e o Macaco (Branco) preparar umas bossas mais encaixadas que ele quer mostrar na Avenida”.

O músico Rafael Prates, também diretor musical da Vila, foi o responsável por produzir os arranjos para a faixa da escola de Noel. Ele explica como fez para a obra dialogar com o enredo.

“Na Vila Isabel fizemos um trabalho reforçado de coro, que é a sustentação para o Tinga, temos também dois assuntos bem importantes que eu abordo no arranjo, que é o início e o final. A parte do “Sou eu! Índio filho da mata”, a parte da natureza em que damos a ideia do amanhecer dos índios, de bravura e de guerra. E o final que é o lance da mata do suspense e um canto indígena”.

Grande responsável por guiar o samba-enredo, o intérprete Tinga conseguiu novos números expressivos nas disputas de samba-enredo das escolas do Especial. Foram cinco vitórias em sete finais. A missão agora é fazer da obra da Vila Isabel assinada por Cláudio Russo, Chico Alves e Júlio Alves, a grande propulsora de um desfile campeão.

“Mais um samba maravilhoso da Vila Isabel está vindo aí com força total. Com certeza vai ser um sucesso na Avenida. A comunidade já abraçou o samba o que é muito importante, mostrou que está feliz com o samba. Vamos ‘soltar o bicho’, mais uma vez, na Avenida e levar a Vila Isabel ao nosso sonho que é conquistar o título para a nossa comunidade”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui