Compositores: Fábio Jelleya, Marcelo Nunes, Wladi, Newtinho, Edu Borel e Renato Lepinski

ATOTÔ OBALUAÊ… SARAVÁ, MEU PAI!
PRETO VELHO CHEGOU, FIRMA O PONTO NO CONGÁ
SUNCÊ ME TRAZ CACHIMBO E CAFÉ
ADORÊ AS ALMAS, TATUAPÉ!

Meu fio, parece cansado
Senta aqui do meu lado, vamo proseá
Suncê conhece a história dos preto?
Os vento da dor trouxe de lá… África!
O sabor da cor da raça
Em cada canto, brotou pés de inspiração
Aqui… Espaiô feito fumaça
O perfume do nosso torrão
Brasil, óia só que ironia
O negro virou ouro, enricou a tirania

PRETO É SINHÔ DO BATUQUE, OGAN DA SENZALA
ECOOU… O CANTO, DANÇA, REZA E RITUAIS
CICATRIZ DOS CAFEZAIS, A MORDAÇA NÃO CALOU

Ô Ô Ô Ô Ô… O CATIVEIRO ACABÔ!

O passado inté ficou pra trás
Alumiando os trilhos do meu caminhá
Irmãos chegaram sem açoite e mar feitô
Pingado poder, o tempo amargô
Mãos calejadas plantava poesia
Colhia versos na mais bela sinfonia
Zifio, pra terminá o proseado, despertá
Tem um bolo de fubá, cafezinho com melaço
No fundo, a fé molda o caminho
Se precisá, pode chamá
Venho lá de Aruanda
Com as bençãos de Obatalá!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.