Compositores: Fábio Jelleya, Marcelo Nunes, Wladi, Newtinho, Edu Borel e Renato Lepinski

ATOTÔ OBALUAÊ… SARAVÁ, MEU PAI!
PRETO VELHO CHEGOU, FIRMA O PONTO NO CONGÁ
SUNCÊ ME TRAZ CACHIMBO E CAFÉ
ADORÊ AS ALMAS, TATUAPÉ!

Meu fio, parece cansado
Senta aqui do meu lado, vamo proseá
Suncê conhece a história dos preto?
Os vento da dor trouxe de lá… África!
O sabor da cor da raça
Em cada canto, brotou pés de inspiração
Aqui… Espaiô feito fumaça
O perfume do nosso torrão
Brasil, óia só que ironia
O negro virou ouro, enricou a tirania

PRETO É SINHÔ DO BATUQUE, OGAN DA SENZALA
ECOOU… O CANTO, DANÇA, REZA E RITUAIS
CICATRIZ DOS CAFEZAIS, A MORDAÇA NÃO CALOU

Ô Ô Ô Ô Ô… O CATIVEIRO ACABÔ!

O passado inté ficou pra trás
Alumiando os trilhos do meu caminhá
Irmãos chegaram sem açoite e mar feitô
Pingado poder, o tempo amargô
Mãos calejadas plantava poesia
Colhia versos na mais bela sinfonia
Zifio, pra terminá o proseado, despertá
Tem um bolo de fubá, cafezinho com melaço
No fundo, a fé molda o caminho
Se precisá, pode chamá
Venho lá de Aruanda
Com as bençãos de Obatalá!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui