Por Matheus Mattos. Fotos: Felipe Araújo

A atual bicampeã do carnaval de São Paulo, a Acadêmicos do Tatuapé proporcionou um clima de desfile oficial para todos os presentes no sambódromo, principalmente logo na largada. A cantora Leci Brandão abriu o ensaio da agremiação. O técnico beirou a perfeição em praticamente todos os quesitos, tendo poucos detalhes a serem acertados para o desfile oficial.

Comissão de frente

A ala veio com roupa branca e um enorme costeiro. 15 bailarinos dançam juntos e evoluem constantemente. A comissão de frente da azul e branca não usa tripé e tem um estilo em que preenche um grande espaço da avenida durante a coreografia.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal oficial da Tatuapé, Diego e Jussara, teve um desempenho satisfatório na noite. Ambos optaram por uma roupa mais leve, misturando o azul com o dourado. Um destaque emocionante ficou por conta do pai da porta-bandeira, ele acompanhou a filha do lado abraçado ao pavilhão reserva muito emocionado, sentimento que durou o trajeto inteiro.

Samba-enredo

O intérprete Celsinho Mody mantém postura que da mais liberdade para a comunidade cantar, ato que vem se tornando uma característica do cantor. O chão da escola é bem trabalhado e enriquece diretamente o hino de 2019. O time de cordas realiza arranjos em grande parte do samba e de forma ousada. Durante o grande apagão da bateria, os músicos responsáveis pelos cavacos e violões contribuem para que o compasso do andamento não caia através dos solos. São três cavaquinistas e dois violões.

Evolução

A entrada no recuo da bateria foi melhorada em comparação ao último ensaio, mas mesmo assim foi notado o buraco. O conserto foi efetuado de maneira rápida. Movimentos de mãos praticamente constante são vistos durante a passagem, todas alas tem coreografia, e difere de uma pra outra. A entidade trouxe uma organização perfeita, até mesmo nas camisetas, cada ala com a sua camiseta, e o nome que representa no desfile. O último setor é o que mais traz elementos que prometem impactar.

“Com muita humildade, pés no chão e garra nós estamos indo para o nosso sonho. Como a gente, a cada dia a gente vai aprendendo e melhorando. Do ensaio passado pra esse a gente já cresceu, queremos crescer mais para os próximos e pro dia do desfile”, comentou o intérprete.

Harmonia

A Tatuapé foi a agremiação que melhor mostrou regularidade no canto dentre todas que realizaram o ensaio. Os integrantes da harmonia estão atentos no desempenho dos componentes, e durante os extensos apagões eles marcam nas mãos o andamento, isso faz com que não haja descompasso do canto.

“No primeiro ensaio nós identificamos alguns erro, simples mas eles aconteceram. No meu ver o que aconteceu hoje nós conseguimos solucionar esses erros. Ainda temos mais um ensaio pra corrigir os defeitos que aparecer, e chegar preparado. Passamos na avenida com uma hora e quarenta segundos”, disse Edu Sambista, diretor de carnaval.

Bateria

A bateria Qualidade Especial, do mestre Higor, continua com postura de ritmo que sustenta o canto, mas sem perder a ousadia. A batucada carrega uma característica de sempre deixar lacunas que a comunidade preenche com o canto. Já mencionado, a ala de cuícas da Tatuapé é a única do carnaval que só é preenchida por mulheres.

“O ensaio teve uma crescente do primeiro, em questões da escola e da bateria. A gente sentiu a evolução, e esperamos ter também no terceiro ensaio e por fim no desfile”, explicou mestre Higor.

Outros Destaques

O enredo da escola homenageia os guerreiros, e no quarto setor uma ala em específica traz a representação do jornalista. Integrantes trouxeram placas com a imagem do Ricardo Boechat, jornalista que faleceu recentemente num acidente de helicóptero. A última ala também chamou a atenção, isso porque eles homenageiam os profissionais do carnaval.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui