As sete escolas de samba que abriram a primeira noite de desfiles no Sambódromo da Marquês de Sapucaí comprovaram na pista que são capazes de vencerem qualquer adversidade. Se não bastasse o pré-carnaval tão conturbado, sem verba da Prefeitura do Rio, sem barracões, as escolas foram castigadas pelo forte temporal que atingiu o Rio de Janeiro, desde 18h de sexta-feira. Resultado que o palco principal do sambista não aguentou e ficou completamente alagado, sinal de mais um descaso do poder público que não consegue gerir com qualidade o lugar que deveria o principal ponto de orgulho de um político do Rio de Janeiro. Por isso, o que se viu nos desfiles foi um show de superação e de falhas causadas, na maioria das vezes, não pela falha artística, mas, principalmente, pela água da chuva. E o título da Série A e a única vaga para o Especial em 2020 deve ficar para o sábado quando mais seis escolas vão pisar na Sapucaí.

Veja abaixo como passou cada escola que desfilou nesta sexta pela Série A.

UNIDOS DA PONTE: A Unidos da Ponte volta à Série A no Carnaval 2019 reeditando um de seus mais importantes enredos: “Oferendas”, de 1984 fazendo reverência aos ritos feitos para cada orixá nas religiões de origem africana, como a Umbanda e o Candomblé. A escola teve a missão de abrir os desfiles de sexta-feira de carnaval depois de um dos maiores temporais da história da Sapucaí com cerca de 30 minutos de atraso. O desfile teve duração de 54 minutos.

ALEGRIA DA ZONA SUL: A Alegria da Zona Sul foi a segunda escola a pisar na Avenida na chuvosa noite desta sexta-feira. A agremiação oriunda da Zona Sul, demonstrou leitura clara e objetiva do enredo “Saravá, Umbanda’’, desenvolvido pelo carnavalesco Marco Antonio Falleiros. Ao mesmo tempo, porém, ficou claro a limitação financeira da escola para produzir fantasias e alegorias. O ponto negativo mais latente foi o quesito evolução. Dois buracos aconteceram nos dois primeiros módulos e a vermelha e branca precisou “apressar o passo” na reta final. Mesmo assim, terminou o seu desfile com 56 minutos, um acima do máximo permitido. A comissão de frente também se destacou!

ROCINHA:Uma apresentação onde a criatividade dos materiais e a fácil leitura plástica, principalmente das fantasias, triunfou. A Acadêmicos da Rocinha teve a difícil missão de encarar a pista molhada e iniciar seu desfile mesmo embaixo de uma chuva intensa. Com o enredo “Bananas para o Preconceito”, a tricolor de São Conrado foi a terceira escola da noite e realizou a sua apresentação em 55 minutos, o tempo máximo.

SANTA CRUZ: A Acadêmicos de Santa Cruz entrou na Sapucaí para emocionar, com um samba-enredo aclamado positivamente pela crítica no período pré-carnavalesco, além de uma homenagem para ninguém botar defeito, com o enredo “Ruth Souza – Senhora Liberdade, abre asas sobre nós”. A escola teve muitos problemas em seu caminho, a maioria por conta da chuva que não parou durante todo o seu desfile, queda na Comissão de Frente, escorregão da Porta-Bandeira, lentidão no início, correria no fim, além de fechar seu desfile com 57 minutos. Pelo regulamento, a escola pode perder 0,2. O tempo de desfile máximo é de 55 minutos.

UNIDOS DE PADRE MIGUEL: Primeira escola a desfilar sem chuva forte na madrugada desta sexta-feira na Marquês de Sapucaí, a Unidos de Padre Miguel, escola sempre aguardada devido aos seus últimos grandes carnavais fez a melhor arrancada da noite entre as cinco que já desfilaram, no entanto, apresentou problemas de acabamento em alegorias e graves erros em evolução. A escola estourou três minutos dos 55 máximos do tempo de desfile. A agremiação apresentou o enredo “Qualquer semelhança não terá sido mera coincidência”, uma homenagem ao dramaturgo Dias Gomes.

INOCENTES DE BELFORD ROXO: Abusando da criatividade e de materiais reciclados, a Inocentes de Belford Roxo apresentou uma plástica diferenciada. Com isso, trouxe um dos seus melhores conjuntos alegóricos entre os seus últimos desfiles da Série A. Com o enredo “O Frasco do Bandoleiro – Baseado num causo com a boca na botija”, a Caçulinha da Baixada realizou a sua apresentação em 55 minutos.

SOSSEGO: O Acadêmicos do Sossego encerrou a primeira noite de desfiles da Série A com um rendimento satisfatório. Por mais que tenha errado em alguns quesitos, como evolução, alegorias e enredo, Compensou em outros – mestre-sala e porta-bandeira e rendimento do samba-enredo. Projetando um possível resultado final, dificilmente a Sossego ficará entre as últimas colocadas, mas também não deixou a impressão que brigará entre as primeiras. A comissão de frente também merece menção pela clareza da proposta.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui