A Porto da Pedra resolveu optar pela mudança neste carnaval. Trouxe o tigre, símbolo da escola, em um tripé abrindo o desfile. E não no abre-alas como de costume.

O tripé representava o tigre mergulhado nas águas da purificação para trazer a garra das mulheres africanas para a Avenida, de mulheres que venceram a escravidão e lutaram por uma vida melhor. O símbolo máximo da agremiação veio abrindo passagem para realizar um desfile de lavar alma. O grande tigre veio bem acabado no topo do tripé. Na parte inferior, haviam tecidos que faziam alusão a água, mas o trabalho não parece ter sido tão perfeito nessa parte.

Os componentes apresentaram fantasias distintas. Alguns com fantasias que remetiam a peixes, e outros com fantasias improvisadas, somente enrolados em tecidos azuis.

Para Fátima Falcone, 65, o tigre na abertura do desfile pode ser sinal de sorte para a escola.

“Eu gostei, achei muito legal, tá muito bonito. Acho que essa mudança representa melhora para a escola, e vai trazer sorte este ano.”

Para Maria do Carmo, 64, que desfila há oito anos na Porto da Pedra, não poupou elogios para esta mudança. “Veio diferente, mas eu achei bacana. A escola está linda, e eu achei até melhor”, finalizou.

Comentários