Por Gabriella Souza

O bairro de Noel, antigo reduto de bambas e de muito samba, recebeu mais uma noite de quinta-feira com o ensaio da Unidos de Vila Isabel, treino com grande público na rua. Gente que veio do asfalto e gente que veio do morro, todo mundo desceu para ver a Vila ao longo do seu mais urbano lar, a famosa 28 de Setembro. Com cerca de 1h10 de treino a azul e branco se mostrou segura e já bem consistente para a reta final de preparação para o carnaval, um pouco mais técnica para já realizar seus últimos ajustes. Quem abrilhantou o ensaio foi o intérprete Tinga, que deu um show com seu carro de som marcante, o gás que faltava para o componente e o público curtir e viver aquele ensaio com a animação necessária, iniciando sua arrancada convocando a comunidade a se entregar.

“Está chegando a hora de mostrar a força do povo de Noel. Faltam duas semanas para irmos em busca do nosso sonho”, falou Tinga emocionado, ao também relembrar a terceira colocação da escola em 2019, o combustível para a busca do título em 2020.

Harmonia e Samba

O carro de som de Tinga fez o ensaio tomar outra proporção, contagiando o público, desde o início com seu discurso emocionado ao motivar os componentes. E foi assim o ensaio todo, sempre chamando a comunidade a cantar com força. O intérprete e sua equipe foram os que fizeram a festa acontecer, chamaram o público e se mostraram seguros em cada passo do ensaio, com uma qualidade alta e muita experiência. Tinga realmente participou do treino inteiro, foi no meio das alas cantar com os componentes, abraçar todo mundo, foi na bateria cantar para com o mestre e a Swingueira e levantar o público a vibrar junto na explosão do samba. A arrancada veio com sambas históricos e emocionou muitos fãs da Vila com o “Kizomba, Festa da Raça” clássico samba de 1988 entoado por toda a escola.

“Foi maravilhoso hoje, a escola está de parabéns e muito feliz com o samba. E com certeza, vamos mais uma vez em busca desse título, nosso sonho. Com respeito a todos, mas a Vila Isabel está se preparando para fazer uma grande carnaval e um desfile incrível. Do nosso carro de som, sempre melhorando e evoluindo, o objetivo é beirar a perfeição, mas está tudo ajustado e vamos nessa. Solta o bicho!”, disse Tinga animado com o ensaio.

O que se notou também foram algumas variações no canto da escola, as primeiras alas estavam afiadas com a letra e cantavam com muita vontade. Mas para o meio e final da escola, o canto já ia se tornando menos vivo, na ponta da língua, mas com pouca força, algo que a emoção dos dias finais e da Sapucaí se encarrega de proporcionar e estimular.

Evolução

Faltando duas semanas para o desfile o que se viu foi uma escola já muito bem segura de suas estratégias, todas as alas evoluíram com o andamento esperado e controlado por uma equipe bem atenta aos passos dos componentes, assim como do controle do público ao redor. A escola em si estava cheia, todas as alas bem completas e equilibradas em números de componentes. Destaque para a primeira ala da escola já vindo coreografada com um número exato de componentes que simulavam barcos e remadas em um encenação já bem ensaiada e interessantíssima. A animação dos componentes foi o toque interessante, as mãos para o alto e os gingados de um lado ao outro foram os mais comuns, a maioria com um sorriso no rosto e festejando um ensaio leve de uma escola segura. Muitas alas com adereços próprios, formando um visual alegre e bonito para a estética do ensaio. O setor da escola mostrou-se mantendo o nível de disciplina, controle e organização para 2020, com grande parte da equipe se comunicando por rádios e fazendo o ensaio ser tranquilo, nada fora do planejado pela diretoria de carnaval.

O diretor de carnaval da escola, Wilsinho Alves, destacou que a Vila já está pronta para pisar na Avenida nessa reta final de ensaios, assim como vem se comprometendo com a organização em já conseguir entregar todas as fantasias aos componentes nesta semana.

Wilsinho fala ainda da novidade testada no ensaio desta quinta e que irá ser definitiva para o desfile, uma paradinha com a escola toda, deixando o canto livre aos componentes, algo que criou um efeito bonito e emocionante.

“Estamos chegando perto do carnaval e sempre evoluindo, um degrau após o outros. Nossos ensaios tem sido cada vez melhores, hoje botamos em prática uma nova paradinha que a gente já vem testando internamente algum tempo e botamos para a comunidade cantar e deu certo. A questão do andamento do samba, o Macaco sempre entre 145/146 BPM (batidas por minuto) tranquilamente com a bateria perfeita. Do Tinga, nem se fala, não é? Incrível! E bom, a nossa comunidade está pronta, estamos já com oito alas entregues e até quarta-feira eu termino de entregar todas as fantasias. Serão mais três ensaios, domingo agora, quinta da próxima semana e o outro domingo para chegarmos bem no carnaval e disputar o título de novo. E, sem dúvida, a Vila vai chegar muito bem preparada nesse carnaval como chegou no do ano passado”, declarou o diretor.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da Unidos de Vila Isabel, Raphael Rodrigues e Denadir Garcia, realizou uma apresentação ao som de incessantes aplausos do público que os assistia, o motivo foi uma dança bonita, consistente, e, acima de tudo, claramente experiente. Os dois apresentam um entrosamento perfeito, uma sinergia, que torna a dança mais leve, consistente e claro, em um nível alto de qualidade. Mesmo que segundo a equipe, a apresentação deste ensaio tenha sido somente um esboço da coreografia completa visto a escolha de poupar o casal que ainda teria um ensaio no Sambódromo nesta madrugada, o que se viu foi uma dança bem teatral, bonita e muito bem ensaiada por ambos, que são treinados pela coreógrafa Ana Formigheri.

Bateria

O show da noite ficou por conta da Swingueira de Noel, bateria de nível alto. Mestre Macaco Branco, em apenas um carnaval no cargo, já vem afirmando a sua identidade na construção da bateria, inclusive, mais importante, resgatando a personalidade dessa bateria que hoje se sustenta como uma das mais consistentes. O trabalho é de ano em ano e a Swingueira vem crescendo e promete cada vez mais se destacar, e muito, na Avenida, devido também a organização de seus ritmistas.

Cada naipe muito bem dividido, com diretores de alto padrão, a sonoridade e o andamento respeitam a tradição da escola e se encaixam bem com o samba. Destaque para os naipes de marcações e caixas bem fortes e ressaltados e o de tamborins muito bem executados e com desenho bonito e harmônico, com força e que contribuem para um qualidade da bateria. O trabalho de Macaco vem ganhando elogios no meio e o que se viu foi o motivo, a qualidade e a boa noção musical que ele trouxe para bateria a fará decolar. Interessante também a coreografia da bateria inteira em uma paradinha, cria um efeito bonito, assim como o já entrosamento da recém chegada rainha de bateria Aline Riscado, que mostrou o samba no pé e a proximidade com a comunidade da Vila e sua bateria.

Macaco Branco conta que está está feliz com o bom casamento de toda a escola e o entrosamento encaixado de sua bateria com Tinga e sua comunidade, assim como ressalta a busca pela nota máxima que diz estar trabalhando muito para ‘cravar’ e concretizar esse desejo da Swingueira em 2020.

“Hoje o nosso ensaio foi maravilhoso graças a Deus, fizemos mais um grande ensaio. Esse casamento com da Swingueira com o Tinga e seu carro de som, a harmonia, nossa comunidade que está muito feliz com esse samba, está tudo no caminho e a Vila vem brigar pelo título. A nossa bateria irá cumprir seu papel e conseguir a nota máxima do carnaval que a gente tanto almeja. E agora é ensaiar bastante e cair dentro, se o carnaval já fosse amanhã a gente já estaria pronto para estar desfilando”, declarou.

Comentários