Tuiuti encara chuva, faz ensaio aguerrido e samba mostra força

0

O site CARNAVALESCO abriu na noite desta segunda-feira a temporada de visitas aos ensaios de rua ou de quadra do Grupo Especial. Nossa primeira parada foi no Paraíso do Tuiuti. A escola fez seu segundo ensaio técnico de rua preparatório para o desfile no Carnaval 2020. A principal adversidade encontrada pelos componentes da escola foi a insistente chuva que caiu sobre a capital fluminense durante toda a noite. Entretanto, os integrantes da agremiação não se intimidaram e realizaram um forte ensaio no aspecto do canto, impulsionados pelo samba muito bem conduzido pela dupla Celsinho Mody e Nino do Milênio. * VEJA AQUI FOTOS DO ENSAIO

Samba-Enredo

A obra do Paraíso Tuiuti para o Carnaval 2020 é uma das mais interessantes de uma safra de extrema qualidade. Em primeiro lugar, possui uma melodia valente, firme e que possibilita um perfeito canto da escola, como pode se notar no ensaio. Além disso, a condução de Celsinho Mody e Nino do Milênio tem se mostrado muito competente. Ambos demonstram muito entrosamento e parceria, sem a disputa de egos que costuma-se ver em postos divididos. Os refrões da canção possui encaixe perfeito com a bateria Super Som e a tendência é que seja um dos grandes atrativos do desfile da escola no ano que vem.

“Sou paulista e por isso não tenho medo de chuva. Ela traz coisas boas para nós, bons fluidos. Nosso samba tem muita qualidade. Nós viemos trabalhando ele parte a parte, pedaço por pedaço, já que temos essa prerrogativa devido à encomenda, para aí sim chegarmos na rua com ele bem azeitado. O resultado foi esse que todos puderam ver e ouvir, e estamos apenas no nosso segundo ensaio”, elogiou Celsinho Mody.

“Mais uma vez, eu tenho a honra de cantar um grande samba nessa escola. Nossa obra possui muita qualidade, a melodia nos permite cantar com muita valentia. Estar ao lado do Celsinho é um aprendizado diário. A chuva lavou a alma”, complementou Nino do Milênio.

Harmonia

Embora tenha ainda ensaiado com um contingente reduzido, as alas que passaram pela rua demonstraram um canto bastante satisfatório para um segundo ensaio de rua, restando ainda cerca de três meses para o desfile. Componentes já demonstram o domínio do samba-enredo, comprovando que é um acerto da escola e encomenda e a divulgação da composição mais cedo que as demais concorrentes.

Evolução

Algumas alas ainda espaçadas devido ao pouco contingente, o que gerou alguns clarões em determinados pontos. Por outro lado muita garra e alegria na cerca de 01h30 de ensaio debaixo de muita chuva. A agremiação optou por trazer a velha-guarda e as baianas logo atrás da comissão de frente e do casal, o que causa certo hiato no conjunto, algo que a escola pode corrigir pra as próximas apresentações.

“Esse é o momento de treinarmos a nossa técnica de desfile. Esse ano o regulamento mudou e estamos atentos a essas três paradas previstas. Serão duas bem próximas uma da outra e a terceira mais distante. É preciso estar atento a isso. Fizemos aqui marcações de jurado. Estamos aos poucos enxertando o contingente da escola, mas vejo o resultado como bastante satisfatório neste início de trabalho”, analisou o diretor de carnaval Júnior Schall.

Bateria

Quesito sempre mais prejudicado pela chuva, a bateria Super Som passou com correção pelo ensaio de rua, considerando que a água sempre interfere na sonoridade dos instrumentos, principalmente dos surdos. Mestre Ricardinho novamente ousa nas bossas e foi possível identificar quatro convenções diferentes ao longo do ensaio.

“É praticamente impossível realizar uma análise em um ensaio com chuva, mas é possível analisar outros aspectos. Achei que a rapaziada passou muito bem, não houve erros de execução. Estamos ensaiando com quatro bossas, mas todas são em cima da melodia, nada muito rebuscado. Estamos atentos para corrigir os erros a cada ensaio”, destacou o mestre Ricardinho.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Marlon Flores e Daniele Nascimento realizaram um ensaio à vera, não se limitando a apenas fazer marcação de espaço. A dupla exibiu trechos da coreografia que ao que tudo indica já é aquela que está sendo treinada para o desfile. Além disso, eles fizeram as paradas técnicas, simulando as cabines de julgamento.

Comissão de Frente

Ao contrário de muitas escolas, o Tuiuti opta por levar a comissão para o ensaio de rua também. E assim como o casal, o grupo de bailarinos comandado por Márcio Moura não se limitou a apenas passar pela rua. Os integrantes realizaram movimentos coreográficos semelhantes ao que se vê em desfile, deixando a sensação de que o treinamento é visando ao desfile. O grupo procurou interagir com o público, sem se esquecer da parte técnica e de não criar espaçamentos nas apresentações do casal.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui