TV Globo conversa com Liesa e Liga-SP sobre os contratos para transmissões dos desfiles de 2022

O Carnaval 2021 terminou sem os desfiles das escolas de samba e nos bastidores o clima é de planejamento para realização no ano que vem. O site CARNAVALESCO apurou que a TV Globo iniciou uma conversa com a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) sobre o contrato para transmissão de 2022 e uma possível redução no valor pago.

No Rio de Janeiro, a informação não-oficial é que cada escola de samba do Grupo Especial recebe R$ 2 milhões por ano da TV Globo pelo direito da transmissão. Procuramos a emissora que, através da Comunicação da Globo, respondeu e também falou que está conversando com a Liga-SP. O motivo para conversa sobre os contratos informado pela emissora é o impacto da pandemia da Covid-19.

“Estamos conversando com as duas Ligas parceiras com o objetivo de encontrar soluções para superar os desafios impostos a todos pelos impactos da pandemia de Covid-19 no Brasil”.

Vale lembrar que em setembro de 2019 a TV Globo renovou por seis anos a compra direitos para a transmissão dos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro.

“A parceria das Escolas de Samba do Rio com a Globo tem sido fundamental para manter viva uma das maiores expressões da cultura brasileira. É com este investimento dos direitos de transmissão que as Escolas de Samba começam a estruturar todo o seu desfile”, afirmou na época da renovação, Jorge Castanheira, presidente da Liesa.

Relação longa entre Globo e Carnaval

Um ano depois de inaugurada, em abril de 1965, a Globo passou a cobrir o carnaval carioca e, em seguida, o carnaval pelo resto do país. Atualmente, a emissora mobiliza cerca de dois mil profissionais para a promover a festa das escolas de samba e das centenas de blocos que arrastam foliões por toda a cidade.

Em sua área de imprensa, a TV Globo explica que o investimento não se encerra na compra dos direitos de transmissão.

“Meses antes dos desfiles, equipes do jornalismo acompanham a definição dos enredos, a escolha dos sambas e o trabalho nos barracões das escolas em reportagens e séries especiais nos telejornais locais e nacionais. Nos quatro dias de desfile, a Globo monta um estúdio especial na Sapucaí onde recebe convidados e comentaristas, destacando os pontos altos de cada apresentação. Equipes de reportagem acompanham, desde a concentração até a dispersão, todos os passos, detalhes, alegorias e samba no pé dos integrantes das escolas e do público que vai até a avenida torcer pela sua escola do coração. Nas ruas, os repórteres acompanham, na Globo e na Globonews, o desfile dos blocos e a diversidade do Carnaval por toda a cidade. Uma festa democrática, com espaço para foliões de todas as idades, gêneros e classes sociais”.

Eduardo Paes revela ao CARNAVALESCO: ‘Assumi o compromisso de ajudar os profissionais das escolas de samba’

Ao participar da cerimônia da chave da cidade, na sexta-feira de carnaval, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, falou com a equipe do site CARNAVALESCO. Ao ser perguntado sobre o auxílio para os profissionais do carnaval, que estão passando por muitas dificuldades, devido à pandemia da Covid-19 e o cancelamento dos desfiles, ele revelou que assumiu um compromisso de resolver essa questão.

“Vamos trabalhar para fazer de 2022 o maior carnaval da história. Já assumi o compromisso de ajudar os profissionais das escolas de samba. Estamos fazendo o edital mais aberto e queremos fazer também para os trabalhadores das escolas de samba. Queremos resolver isso. Estamos amarrando os últimos detalhes para podermos anunciar. Vamos fazer uma celebração inesquecível em 2022 para compensar esse ano”, garantiu Paes ao site CARNAVALESCO.

Governador do Rio: ‘A gente sabe que a indústria do carnaval não é feita só nos dias dos desfiles’

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, assinou na quarta-feira de cinzas, no Palácio Guanabara, Zona Sul do Rio, o apoio para escolas de samba realizarem de forma virtual suas escolhas de samba para o Carnaval de 2022. Blocos e associações carnavalescas também foram contempladas.

Oito escolas de samba do Grupo Especial (Imperatriz, Mangueira, Salgueiro, São Clemente, Paraíso do Tuiuti, Portela, Unidos da Tijuca e Vila Isabel) receberão R$ 150 mil pelo Fundo Estadual de Cultura e vão se juntar com as demais quatro (Beija-Flor, Mocidade, Viradouro e Grande Rio) já beneficiadas com o mesmo valor pela Lei Aldir Blanc.

Em sua fala para os presentes, Cláudio Castro enalteceu o trabalho da secretaria de Cultura com a elaboração dos editais para apoiar o processo das escolhas de samba virtuais para o Carnaval de 2022.

“A Danielle (secretaria) tem olhado pela cultura o tempo inteiro. O que mais deixou me deixou aflito nesse carnaval foi cada emprego que não foi dado, cada pessoas que não trabalhou. A gente sabe que a indústria do carnaval não é feita só nos dias dos desfiles. Quando a Dani teve a ideia de pegar o dinheiro do ICMS e ajudar essas pessoas é o verdadeiro significado de olhar para cada pessoa que faz cultura. Não tenho dúvida que é a medida mais acertada. Com toda dificuldade que o Estado tem, a gente consegue ajudar, estamos preparando o carnaval do ano que vem, mas também um ano de solidariedade. O carnaval abriu de fazer aquilo que mais ama pensando no outro”.

Lives para escolhas dos sambas

A escolha dos sambas-enredo deve ser realizada em quatro etapas, todas com transmissão pela internet. As apresentações eliminatórias e as finais acontecem na Cidade do Samba, no Santo Cristo, por conta da boa infraestrutura e condições de acessibilidade, com respeito aos protocolos de segurança contra a Covid-19. As outras quatro agremiações da Liesa foram atendidas com recursos da Lei Aldir Blanc e contempladas com o mesmo valor.

Comentários