Mãe preta do Brasil, rogai por nós! Entre tantos milagres, Nossa Senhora Aparecida, a Mãe Negra do Brasil é o tema do enredo da União da Ilha do Governador. Em forma de oração e com fé na santa, a Ilha apresentou a celebração da vida e a união dos povos. A Festa no Santuário foi o tema do terceiro carro alegórico, que simboliza o templo que existe em cada pessoa, é uma manifestação de agradecimento e devoção aos milagres da padroeira do Brasil.

Ao longo dos anos, muitos fiéis frequentam o Santuário de Aparecida para pedir, agradecer, colocar uma intenção ou até mesmo rezar. A devoção que é nacional e internacional é comprovada por visitantes. “Fui duas vezes em uma excursão com os meus vizinhos. Gostei muito. A cidade é impressionante. Nossa Senhora Aparecida é do Brasil. E outra afinidade que eu tenho também é do espiritismo, porque eu sou filha de Oxum. Sou devota da Mãe Aparecida”, declara a artesã Maria Helena Fortes, 72 anos.

O ator Flávio Bauraqui, 56, também participou do desfile da União da Ilha. O apresentador ressaltou a importância de falar sobre a cultura e a representatividade negra. “Uma semana antes do convite para desfilar comprei uma imagem de Nossa Senhora Aparecida e dei de presente pra minha mãe. Ela é apaixonada por Aparecida e se tornou atriz aos 63 anos de idade. Nada que acontece é por acaso. O Zacarias é parecido com a figura negra que temos hoje de vencedor, príncipes. Isso que queremos mostrar. Somos todos Zacarias”, finaliza Flávio.

A uruguaiana Nuria Campos, 76, visitou o Santuário, e fez da experiência uma verdadeira história e fé. “Nossa Senhora Aparecida é mãe de todos nós. Quando chegamos em Aparecida do Norte, somos inundados por uma paz, alegria e harmonia interior. Quem já visitou sabe como é bom. É importante para o nosso interior. Só pisando no local para sentir verdadeira sensação. Fiz várias promessas, fui atendida em todas elas e a minha fé é inabalável”, finaliza a pedagoga Nuria.

Comentários