Por Victor Amancio

Devido ao tempo chuvoso na cidade, a União da Ilha realizou seu último ensaio de comunidade na quadra da escola. O diretor geral de carnaval e harmonia da escola, Laíla, fez um trabalho forte com a escola e hoje pode-se notar um canto superior aos apresentados nos últimos carnavais. Durando um pouco mais de três horas, a escola fez um ensaio intenso com o canto forte e empolgação dos componentes. Outro destaque fica por conta da bateria dos mestres Keko e Marcelo que fez um grande ensaio e promete embalar a Sapucaí. * VEJA AQUI FOTOS DO ENSAIO

“Nós estamos trabalhando desde maio, pegamos uma escola que não acreditava no rendimento que teríamos junto ao trabalho proposto. Na escola de samba enredo alguns torceram o nariz e nós fomos agregando com nossa inteligência os caminhos corretos para passar para vocês os caminhos corretos. Quando cheguei falei para vocês que estávamos na zona do perigo pois só tirávamos de décimo pra lá. Cheguei aqui e encontrei diversos problemas mas com minha inteligência e minha cara emburrada ou não fui colocando tudo no seu devido lugar. Sem maltratar ninguém. Por onde passei tive a felicidade de ouvir pessoas dizendo que me amavam pelo meu trabalho correto e honesto. Está faltando um pouco mais de uma semana, não vamos jogar fora o sacrifício de um ano inteiro por causa de 70 minutos. Não temos esse direito. Quero todo mundo com vontade de ganhar carnaval, somos iguais a todos os outros que estão disputando, não vamos temer ninguém, de cabeça erguida para mostrar nossa dedicação e trabalho. Eu quero pedir para vocês entrarem com garra, deixem que se tiverem de fazer sacanagem ou dar uma nota que a gente não mereça. Vamos cumprir com nosso dever, o grande público vai estar lá e verá. Temos um barracão digno de ganhar carnaval”, disse Laíla em discurso antes do ensaio.

Samba-Enredo

O samba da União da Ilha recebeu críticas dos especialistas, porém o que se vê no ensaio é uma obra que cresce na ‘mão’ da comunidade. O componente entendeu e abraçou o samba-enredo. Diferente dos sambas irreverentes e para cima que a Ilha costuma apresentar, a obra tem um tom de melancolia e apela para emoção da comunidade. Cantando a realidade em que a maioria dos brasileiros e moradores de comunidades vivem, o samba é um grito de socorro e pode pegar na avenida.

“Esse samba vai render cada passada. Sem dúvidas vai emocionar a todos. O componente cantando muito, vibrando. Fizemos três horas de ensaio, sem cair o andamento. Quem está criticando antes da hora irá morder a língua”.

Harmonia

É notório o quão forte e empolgado é o canto da Ilha. Em três horas de ensaio o canto permaneceu retilíneo, sem cair em momento nenhum. Mestre Laíla de fato ensinou e aprimorou o canto da escola. O carro de som, a bateria e o canto da comunidade se encaixam perfeitamente, bem entrosados. O trabalho feito de harmonia promete surpreender a Sapucaí e pode alavancar o desfile da escola.

Evolução

Por mais que o espaço para evolução seja menor e mais apertado, o componente se divertiu durante todo o treino. Pulando, erguendo os braços, sambando, a escola fez um grande ensaio em termos de evolução. Pode-se notar uma escola brincando carnaval, mas sem fugir das filas ou alas montadas pelos diretores de harmonia.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Phelipe e Dandara já deixaram de ser um casal promessa e agora, mais do que nunca, preparam uma grande apresentação para o desfile. O casal está muito entrosado e fez a coreografia, que parece ser a oficial para o desfile, sem erros e deixando quem assistia o ensaio encantado com sua performance. Phelipe traz em sua dança trejeitos e passos mais malandreados e Dandara com sua leveza e elegância no bailado demonstra uma maturidade maior sob a dança.

“Expectativa é a melhor possível, esse último ensaio serviu para lavar a alma e irmos para avenida. Nos resta agora esperar o grande dia, mais pronto do que está impossível. Só caminhar para o grande dia”, falou Dandara.

Bateria

A dupla de mestres, indo para o seu segundo carnaval comandando a Baterilha, prepara um verdadeiro show para a Marquês de Sapucaí, com o andamento em 144 BPM (batidas por minuto) e quatro bossas, os mestres vão levar funk, pagode e coreografia para avenida. Bossas muito bem elaboradas e executadas, e valorizando o canto da escola de forma geral. No ensaio desta quarta-feira promoveram um verdadeiro ‘sacode’ na quadra.

“Ensaio sensacional, nosso último ensaio, mestre Laíla consciente do que está fazendo. Bateria com o andamento de 146 e levando quatro bossas sendo a principal a do pagofunk, que iremos apresentar para o jurado, e o pagodão que vamos fazer uma pagode de mesa na Sapucaí e deixando a comunidade cantar o samba. Tem a bossa que vamos fazer em cima de letra do samba, aproveitando essa questão lenço e serão 280 ritmistas com lenço na mão pedindo paz”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui